Abinee destaca atuação no Programa Brasileiro de Etiquetagem

22/07/2022

O Inmetro realizou, no dia 12 do julho, na sua sede em Xerém-RJ, Painel Setorial que abordou a contribuição do Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

O evento teve a abertura do presidente do Inmetro, Marcos Heleno Guerson, e contou com participação da Abinee e outras entidades, objetivando uma ampla reflexão sobre os impactos alcançados e os benefícios que se pretende obter com a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE). Na ocasião, a Abinee apresentou seu histórico de atuação em relação ao tema.

O Programa de Conservação de Energia é decorrente de protocolo firmado no começo da década de 1980 entre o então Ministério da Indústria e do Comércio e a Abinee, com a interveniência do Ministério das Minas e Energia.

A parceria entre Inmetro e Abinee culminou no desenvolvimento e materialização de uma etiqueta para prover informações úteis como forma de balizar a decisão de compra dos consumidores, que podem levar em consideração outros atributos, além do preço, no momento da aquisição dos produtos. A iniciativa teve início com adesão voluntária dos fabricantes.

A partir de então, o projeto ganha status de Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE), ganhando importantes parceiros, como Eletrobras/Procel e Petrobras/Conpet.

Experiências da Abinee no PBE:

Aquecedores de água

Condicionadores de ar (compressor rotativo consome 35% menos de energia que compressor convencional tipo pistão)

Fogões

Motores

Refrigeradores (no início da década de 90 – economia de 264 kWh/ano)

Transformadores de distribuição

Ventiladores

Com base nessa experiência nacional, a Abinee, juntamente com o Inmetro, estendeu a iniciativa para o âmbito da Copant – Comissão Pan-Americana Normas Técnicas (abrangendo América do Norte, América Central, Caribe e América do Sul), assumindo a coordenação do Comitê Técnico 152 Eficiência Energética e Energias Renováveis para harmonização das normas de eficiência energética na região.

No evento foi destacado que ainda há inúmeras oportunidades para expansão de ações sobre o tema. Hoje, o Brasil gasta uma quantidade maior de energia com produção de bens e serviços quando comparado a países mais desenvolvidos e os equipamentos presentes no parque industrial brasileiro têm, no geral, o dobro da idade dos utilizados em países mais desenvolvidos.

Estima-se que existam mais de 20 milhões de motores elétricos trifásicos em operação, que consomem aproximadamente 24,5% da produção nacional de eletricidade. Além disso, estima-se que a idade média das instalações industriais nacionais é de 17 anos (ABRAMAN). Nesse período, os motores tiveram um aumento de rendimento de 6,3%.

Foi observado que a Portaria Interministerial nº 1, de 29.06.2017, estabelece níveis mínimos de eficiência energética a serem atendidos, a partir de 29.06.2019 (fabricação e importação), pelos motores elétricos trifásicos de indução rotor gaiola de esquilo – potência nominal de 0,12 kW (0,16 cv) a 370 kW (500 cv) – motores novos ou motores recondicionados que são comercializados no País e que não faz sentido que os motores recondicionados continuem sendo comercializado com rendimento inferior a IR3. Fato idêntico tem se constatado com motores aplicados em equipamentos e aparelhos.

Diante disso, foi reiterada a importância das ações de vigilância de mercado.

Outro ponto destacado é que os aquecedores elétricos instantâneo de água elétricos – rendimento energético acima de 95% – possibilita asseio diário e confortável, fundamental do ponto de vista social. Além disso, o consumo de água é menor que outros sistemas de aquecimento de água, contribuindo para a sustentabilidade ambiental

Diante do exposto acima, pode-se correlacionar as contribuições do Programa Brasileiro de Etiquetagem para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, conforme segue:

Aquecedores instantâneo de água

Ìndice de confiança do Empresário Industrial

3 Saúde e bem-estar: Assegurar uma vida saudável e promover bem-estar para todos, em todas as idades – possibilita asseio diário



Ìndice de confiança do Empresário Industrial

6 Água potável e saneamento: Assegurar a disponibilidade e a gestão sustentável da água e saneamento para todos, no aspecto “dar acesso a saneamento e higiene adequados e equitativos para todos” – menor consumo de água

Motores

Ìndice de confiança do Empresário Industrial

7 Energia limpa e acessível: Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos, no aspecto “aumento da taxa de melhoria de eficiência energética”


Ìndice de confiança do Empresário Industrial

9 Indústria, inovação e infraestrutura: Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação



Ìndice de confiança do Empresário Industrial

12 Consumo e produção responsável: metas 12.1 e 12.2 – produção e consumo sustentáveis e o uso eficiente dos recursos naturais



Ìndice de confiança do Empresário Industrial

13 Ação contra a mudança global do clima: 13.2 Integrar medidas da mudança do clima nas políticas, estratégias e planejamentos nacionais

 

Informações Adicionais

Geraldo Nawa

Analista de Normas Técnicas

11 2175-0042

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090