Desoneração da folha: Abinee alerta para o risco de mais demissões

18/06/2015

Para o presidente da Abinee, Humberto Barbato, a posição do governo em relação às mudanças na desoneração da folha de pagamentos mostra insensibilidade sobre as graves consequências para a competitividade das indústrias, para o risco de desemprego e para os problemas sociais que podem surgir a partir deste quadro.

Ele acrescentou que as alterações, associadas à redução do Reintegra atingirão a formação de preços de exportação, diminuindo ainda mais a competitividade no mercado externo, uma das poucas saídas neste momento de crise.

O presidente da Abinee tentou mostrar, ao Ministro Levy que houve uma lógica na eleição dos produtos que foram desonerados, que levou em conta a participação da mão de obra no custo de produção, bem como sua perda de competitividade em relação aos importados, que a cada dia ocupavam e ocupam parcela considerável do mercado interno.

Barbato disse ao Ministro que o governo está equivocado se pensa que com a alteração conseguirá aumentar sua arrecadação, pois a aprovação do PL 863/2015, causará mais dificuldades para a indústria e o consequente aumento das demissões.

Ele destacou, ainda, que, de janeiro a abril deste ano, o setor eletroeletrônico já havia fechado mais de 13 mil postos de trabalho, o que pode se agravar com a aprovação do PL.

Segundo Barbato, o Congresso tem a oportunidade de corrigir esta situação, votando de forma consciente, e garantindo a sobrevivência das indústrias no país e a consequente manutenção dos empregos.

Leia mais:
Barbato fala com Ministro Levy sobre desoneração da folha

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090