Abinee defende celeridade no 5G em audiência na Câmara dos Deputados

28/04/2021

O vice-diretor da área de telecomunicações da Abinee, Aluizio Byrro, participou na terça-feira (27) de audiência pública por videoconferência promovida pelo grupo de trabalho da Câmara dos Deputados que acompanha a implantação da tecnologia 5G no Brasil.

Durante o evento, que reuniu representantes do Legislativo e de associações empresariais envolvidas no tema, os participantes defenderam a celeridade na adoção da tecnologia no País. Os certames que fazem parte do edital divulgado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) estão sob análise do Tribunal de Contas da União (TCU). A previsão é de que os leilões das faixas aconteçam ainda este ano. "É importante que o leilão seja feito o mais rápido para permitir que o Brasil se insira nessa tecnologia de forma não muito atrasada em relação aos países mais desenvolvidos que já estão implementando soluções 5G”, afirmou Byrro.

Entre as principais características do 5G, estão a velocidade maior em transferência de dados, a ‘internet das coisas’ (IoT, na sigla em inglês) e o maior alcance. Essa abrangência maior facilitaria bastante o uso da internet em áreas afastadas. A tecnologia usa as faixas entre 3.625 MHz e 3.700 MHz, que devem ser adquiridas por operadoras de telecomunicações. Nesse sentido, Byrro destacou que o foco do 5G é principalmente conectar coisas e não somente pessoas, conferindo aumento de produtividade para o setor industrial. Segundo ele, a tecnologia deverá influenciar atividades em diversas áreas, como cidades inteligentes, saúde, educação, trabalho, mobilidade e agronegócio.

O diretor da Abinee também destacou a importância da aplicação da Lei de Antenas, que apesar de promulgada, ainda não tem total adesão por parte de muitos municípios, dificultando a implantação de ERBs pelas operadoras nessas cidades. "O 5G demanda muito mais antenas do que hoje".

Byrro avaliou como positiva a proposta apresentada no edital do leilão do 5G dos blocos regionais de frequência, o que permite a oportunidade de ofertar blocos de espectro para provedores regionais (PPPs).

Durante a audiência foi discutida a tecnologia de redes de acesso abertas Open RAN como alternativa para a segurança da rede 5G. “O Open RAN permite uma segurança cibernética das redes, uma vez que o 5G permitirá uma capacidade muito maior de dispositivos conectados. Além disso, o Open RAN permitiria muitos atores fornecendo insumos para a construção da rede”, disse Byrro.

Desde dezembro do ano passado, a implantação da tecnologia 5G no Brasil está sendo analisada por um grupo de trabalho na Câmara coordenado pela deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC). Ela propôs a audiência pública desta tarde, que teve a deputada Luisa Canziani (PTB-PR) como mediadora do debate.

Participaram da videoconferência os deputados Vitor Lippi (PSDB-SP) e Arnaldo Jardim (Cidadania-SP). Para Lippi, os leilões 5G deveriam ocorrer o mais rapidamente possível.

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090