Eficiência energética é a forma mais econômica para atender demanda futura de energia

25/03/2015

O desafio do setor elétrico e energético é expandir o sistema e garantir a sua disponibilidade, neste sentido, a forma mais econômica de atender a demanda futura é com eficiência e conservação de energia. A afirmação é do Secretário de Planejamento Energético do Ministério de Minas e Energia, Altino Ventura Filho, que participou do painel sobre Eficiência Energética, realizado na terça-feira (24), no segundo dia do AbineeTec 2015. “Ao usar a energia com mais racionalidade, deixamos de construir usinas e linhas de transmissão”, afirmou.

Segundo ele, eficiência energética é fundamental, pois reduz o Custo Brasil, abrindo, inclusive, espaço para a indústria que tem passado por dificuldades. “O setor industrial não pode passar por esta situação, sendo cada vez mais importador. Temos que ter condições de produzir e gerar empregos no país”, ressaltou.

Em sua exposição, Altino Ventura Filho destacou que, segundo as metas de eficiência do Plano Nacional de Energia 2030, é esperada com as ações uma economia de energia de 106 TWh/ano em 2030, o que equivale à geração de uma Itaipú e o que representará 10% do consumo. Destacando os resultados dos diversos programas de eficiência energética existentes no Brasil, o secretário ponderou que, apesar de avanços, o Brasil ainda não investe o suficiente nesta área.

Ele apontou a necessidade de iniciativas de eficiência energética, que depende também da adesão do consumidor. Neste sentido, adiantou que o Ministério de Minas e Energia está estudando a criação de um Programa de geração distribuída a partir da fonte solar. “O Brasil tem que caminhar neste sentido”.

Altino Ventura Filho salientou que há questões pendentes em relação à parte tributária, como a incidência do ICMS. “Há um processo de diálogo dentro do Ministério da Fazenda, no âmbito do Confaz, na busca de consenso entre os Estado da Federação para que o tributo não incida sobre a parcela consumida pelo usuário final, evitando a bitributação”, completou.

Na ocasião, o gerente de tecnologia e política industrial da Abinee, Fabián Yaksic, moderador do painel, destacou a importância dos programas de eficiência energética, já realizados e a serem realizados, junto ao Ministério de Minas e Energia, Inmetro e Eletrobras. Ele afirmou que a Abinee tem procurado manter o diálogo com todos os órgãos responsáveis para contribuir com as iniciativas propostas.

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090