Em Porto Alegre, Abinee apresenta nova etapa da parceria com APEX

08/05/2018

A regional do Rio Grande do Sul da Abinee promoveu a primeira reunião-almoço de 2018 nesta terça-feira, 8 de maio, em Porto Alegre, na qual foram debatidos temas relevantes para a indústria elétrica e eletrônica.

Na ocasião, após uma saudação em vídeo do presidente executivo da Abinee, Humberto Barbato, em que ele atualizou os empresários sobre as últimas ações realizadas pela associação para o fortalecimento do setor, a gerente de Relações Internacionais da Abinee, Giselle Hipólito, juntamente com o analista da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX-Brasil), Anderson Jorge Dib, apresentaram a nova etapa do programa Electro-Eletronic Brasil, que visa a ampliar e a fortalecer a participação das empresas brasileiras do setor de eletroeletrônicos no mercado internacional por meio da promoção das exportações e da atração de investimentos. O programa tem vigência de março de 2018 a fevereiro de 2020, e pretende alcançar a meta de US$ 2 bilhões em exportações.

Na reunião também foram apresentados os resultados da pesquisa de desempenho do setor em 2017, realizada junto a empresas do Rio Grande do Sul. Anualmente, o estudo atualiza informações do setor eletroeletrônico gaúcho, como faturamento, número de empregos, exportações e aponta algumas perspectivas. Ao todo, foram ouvidas 249 empresas, divididas em dez segmentos, sendo a maioria (34%) de automação industrial. Destas, 39% são micro; 35%, pequenas; 21%, médias; 3%, médias-grandes e 2%, grandes, segundo critérios do BNDES para classificação de porte de empresas. Em relação à concentração geográfica, 65% estão na região do eixo Porto Alegre-Novo Hamburgo; 20%, em Caxias do Sul; 7%, na Serra; 2%, em Pelotas; 1%, em Santa Maria; 1%, em Passo Fundo e 7%, em outras regiões.

Faturamento
Segundo a pesquisa, o faturamento do setor eletroeletrônico gaúcho em 2017 foi de R$ 7,2 bilhões, apresentando leve queda (nominal) de -0,59% em relação à 2016. O dado contrapõe-se com o crescimento de 5% apresentado pelo setor no restante do País. Os segmentos que apresentaram maior crescimento, em relação a 2016, foram: Informática (63,2%) e Componentes Elétricos e Eletrônicos (18,2%).

Empregos
No Rio Grande do Sul, em 2017, o número de funcionários do setor foi 1,63% superior ao ano de 2016, fechando o ano com, aproximadamente, 23 mil empregos diretos. Este valor acompanha o indicador nacional de empregados do setor, que em 2017 foi da ordem de 1%.

Exportações
Da mesma forma, as exportações cresceram 1%, somando cerca de R$ 863 milhões, valor nominal . Considerando as oscilações do dólar médio em 2016 e 2017, o valor exportado em dólar (US$ 270 milhões) representou um crescimento em relação a 2016 de 10,5%.

Perspectivas do setor: Brasil
Para este ano, o setor vislumbra um cenário mais otimista e prevê crescimento de 7% em sua produção e faturamento. Conforme sondagem de conjuntura realizada pela Abinee em dezembro de 2017, 83% das empresas esperam elevação nas suas atividades em 2018, o que mostra generalização dessa perspectiva entre as áreas do setor. As vendas de produtos elétricos e eletrônicos para o exterior devem somar US$ 6,2 bilhões, 6% acima do registrado no ano de 2017. Já as importações, por sua vez, devem manter a tendência de expansão, totalizando US$ 31,8 bilhões, 7% acima de 2017. A utilização da capacidade instalada deverá atingir 80% e o número de empregados poderá chegar a 245 mil funcionários, com crescimento de 5%.

Perspectivas do setor: Rio Grande do Sul
O setor eletroeletrônico gaúcho vislumbra, para 2018, um cenário de recuperação, com expectativa de crescimento médio (faturamento nominal) da ordem de 28%, alavancado pelo otimismo, em especial, de dois segmentos específicos: Componentes Elétricos e Eletrônicos e Geração, Transmissão e Distribuição.

O segmento de Componentes Elétricos e Eletrônicos aponta, para 2018, expectativa de crescimento de 72% – acompanhando o crescimento realizado de 18% em 2017 – e o de Geração, Transmissão e Distribuição, com previsão de 82%, demonstrando otimismo na recuperação dos 41% de retração em 2017. Os demais segmentos apontaram expectativa de crescimento médio entre 10% e 20%.

Indústria 4.0
Outro tema que recebeu destaque na reunião foi o projeto realizado pela Abinee, por meio do APL de Automação e Controle, em conjunto com a UFRGS no desenvolvimento de ações no âmbito da Indústria 4.0 no Rio Grande do Sul. O diretor da Elipse Software, Alexandre Balestrin Corrêa, detalhou os trabalhos que serão realizados na empresa Novus com vistas a desenvolver uma célula de manufatura autônoma e reconfigurável em tempo real, em que cada empresa participante da iniciativa contribuirá com um campo de expertise específica para o desenvolvimento da solução conjunta. A meta é que o projeto piloto sirva de modelo a ser aplicado em outras empresas.


Informações Adicionais

Oscar Rudy Kronmeyer Filho

Gerente

51 3384.0020

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090