Observatório de mercados ilícitos: Abinee apresenta case da Lei do Bem

20/09/2016

O vice-presidente da Abinee diretor da área de informática, Hugo Valério, apresentou na última sexta-feira (16) no lançamento do Observatório de Mercados Ilícitos, realizado pela Fiesp, a contribuição do Programa de Inclusão Digital, estabelecido pela Lei do Bem, para a redução do mercado cinza na área de informática. “A isenção do PIS/Cofins nas vendas à varejo inibiu a presença dos produtos ilegais, que representavam mais de 70% do mercado antes da Lei ser criada em 2005, e hoje representam apenas 11%”.

Segundo ele, apesar da redução de impostos, o governo aumentou sua base arrecadatória com a formalidade do mercado, além de contribuir para a geração de empregos e o acesso à tecnologia por parte da população.

O Observatório de Mercados Ilícitos, lançado pela Fiesp, é uma iniciativa destinada à produção de informações e análises sobre a presença, o tamanho e a dinâmica dos mercados ilícitos que operam no estado de São Paulo, de forma a subsidiar a formação de uma agenda de enfrentamento e contenção do problema por parte da sociedade e do setor produtivo.

Veja a apresentação feita por Hugo Valério sobre a Lei do Bem

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090