Table of Contents Table of Contents
Previous Page  41 / 62 Next Page
Information
Show Menu
Previous Page 41 / 62 Next Page
Page Background

dezembro 2017 |

Revista Abinee

nº 92 | 41

energia fotovoltaica

Além dos cursos de formação, outro tema

foi identificado como essencial pelo grupo

da Abinee: a certificação de profissionais

em instalação de sistemas fotovoltaicos. “O

mercado precisa ter certeza da capacitação

dos profissionais que vão executar esses

serviços”, afirma Guerra.

Hoje, a prática da certificação já é ado-

tada por diversos países, como Austrália,

Portugal, Holanda, Estados Unidos, além de

Colômbia, Equador e Argentina, na América

do Sul.

Seguindo estes exemplos, a Abinee soli-

citou ao Senai a criação de uma certificação

de montadores de sistemas fotovoltaicos,

definindo a metodologia a ser utilizada para

a validação das provas, teóricas e práticas.

A certificação do Senai, que será nacional,

deve estar disponível no próximo ano. “Essa

prática trará inúmeras vantagens para fabri-

cantes, agentes financeiros, distribuidoras

de energia, e, sobretudo, para os usuários,

minimizando os riscos de acidentes, riscos

financeiros, e agregando qualidade na exe-

cução dos serviços”, ressalta Guerra.

O especialista de Desenvolvimento

Industrial do Senai Nacional, Nelson Mas-

saia, afirma que, enquanto a capacitação

compreende um processo de ensino e

aprendizagem para o desenvolvimento de

Com relação à participação

dos consumidores, destacam-

se as classes residencial

(76%) e comercial (17%)

93,2% das conexões

destinam-se ao atendimento

de apenas uma unidade

consumidora

competências profissionais requeridas para o exercício

de uma ocupação, a certificação é um processo de ava-

liação para reconhecimento das competências profis-

sionais. “A certificação é empregada para validação de

competências adquiridas tanto em experiências práticas

da vida profissional quanto em programas de capacita-

ção”, explica.

Este processo assegura que o profissional certificado

está atualizado com relação ao uso de equipamentos,

emprego de instrumentos e uso de tecnologias, indepen-

dentemente da época em que tenha adquirido experiên-

cia ou frequentado um curso de formação.

“Tendo em vista a padronização e os requisitos de

qualidade já aplicados na fabricação dos sistemas fo-

tovoltaicos, não se pode descuidar do correspondente

cuidado da mão de obra”, salienta Massaia.

Em termos de potência instalada, a

fonte solar responde por 71% do total

r 1 |

i t

i

| 37