Table of Contents Table of Contents
Previous Page  14 / 62 Next Page
Information
Show Menu
Previous Page 14 / 62 Next Page
Page Background

14 |

Revista Abinee

nº 92 | dezembro 2017

balanço

2017 uma tendência de

recuperação especial-

mente do segmento

de transmissão, em

decorrência dos leilões

realizados. A avaliação

é do diretor da área,

Guilherme Mendonça

.

“Também contribuíram para essa mudan-

ça de ambiente a iniciativa do governo em

adaptar o marco regulatório às alterações

tecnológicas, proporcionando flexibilidade

aos agentes, além do início do processo de

privatização da Eletrobrás, que oferece uma

perspectiva de crescimento”, acrescenta.

Entretanto, durante o ano, a área de GTD

ressentiu-se da falta de perspectiva e de

apoio para a aplicação dos ativos decorren-

tes do caso Abengoa. Além disso, foi afetada

negativamente pela redução da política de

financiamento para transmissão pelo BNDES

e pela ausência de leilões de geração.

“Para que a recuperação no ambiente

de negócios se consolide, é preciso garan-

tir maior previsibilidade dos leilões de gera-

ção, avançar no novo marco regulatório do

setor elétrico e incentivar a modernização

das redes por meio da automação e digita-

lização”, diz Mendonça.

Estímulo às exportações

O segmento de Equipamentos Indus-

triais permaneceu estável em 2017. Se por

um lado a área observou a expansão de pro-

jetos, como por exemplo, de tração elétrica

(ônibus e caminhões elétricos) e ações de

incentivo à eficiência energética, por outro,

ressentiu-se do

baixo nível de

i nves t imentos

em infraestrutu-

ra. Para o diretor

da área,

Hilton

Faria

, a saída

deve ser o mer-

cado exterior.

“ P r e c i s a m o s

Produção

de avaliação dos relatórios de P&D desde

2006; a insegurança com a nova política

de informática para se adequar à OMC e a

demora na publicação de novos PPBs.

Recuperação ainda tímida

O faturamento da área de Automação

Industrial deve atingir expansão de 5% em

2017. “Há uma recupe-

ração lenta em curso

puxada por empresas

voltadas à exportação

e pela reestrutura-

ção do segmento de

petróleo e gás, com

a gradativa recupe-

ração da Petrobras

e outras empresas

importantes da cadeia de fornecimento”,

aponta

Raul Groszmann

, diretor da Abinee.

Para ele, a área de Automação deverá

ganhar um novo estímulo com o Programa

Indústria 4.0 que ora se encontra em estudo

junto a diversas áreas do governo.

Groszmann acrescenta que os leilões,

seja de energias alternativas, seja de explo-

ração de petróleo e gás, são marcos impor-

tantes que terão reflexos nos próximos anos.

Embora tenha apresentado queda de

1%, o segmento de Geração, Transmissão e

Distribuição (GTD) começou a observar em

+5%