Table of Contents Table of Contents
Previous Page  53 / 56 Next Page
Information
Show Menu
Previous Page 53 / 56 Next Page
Page Background

janeiro 2017 |

Revista Abinee

nº 89 | 53

De produto a serviço:

a transformação da indústria

livre opinião

Eduardo C. Peixoto

E

m 1995, começou a operar no Brasil

o que conhecemos hoje por Inter-

net das Pessoas. Ao nos conectar

uns aos outros e às organizações

de formas variadas, permitiu-se a desin-

termediação de mercados e a mudança na

estrutura de negócios e setores inteiros.

Agora, é chegada a vez de trazer para a

rede os objetos, para a chamada Internet

das Coisas -

Internet of Things

(IoT).

Para termos ideia da dimensão do im-

pacto potencial da IoT vale fazer uma com-

paração com outras redes de conexão. Em

2025, a telefonia fixa terá completado 150

anos de existência e atingido 1 bilhão de

lugares; a telefonia móvel, 7 bilhões de

pessoas após 50 anos de existência; a

internet fixa, 1 bilhão de pessoas após 25

anos de existência; e a IoT terá conectado

50 bilhões de objetos em apenas 20 anos

de existência, provocando um impacto de

US$ 11 trilhões na economia mundial.

Uma das mais impactadas será a indús-

tria de produtos manufaturados. A IoT pos-

sibilitará um grande aumento de eficiência

na produção por meio da otimização de

processos e do uso de maquinário, mas as

mudanças serão muito mais profundas no

produto fabricado. Nada será como antes:

do ciclo de vida dos produtos, às relações

entre a indústria e seus usuários e, até na

forma como serão estabelecidos volumes

de produção. Tudo muda.

Os produtos que consumimos hoje, em

sua grande maioria, são eletromecânicos e

isolados. O baixo custo de unidades com-

putacionais e de memórias permitirá, num

primeiro momento, que os produtos se

tornem inteligentes, com capacidade de

decisão por e para nós. Serão assistentes

inteligentes e tornarão nossas vidas mais

fáceis. É o que já acontece com o carro.

Os mais sofisticados chegam a ter 70 uni-

dades de processamento e possuem inte-

ligência suficiente para reconhecer placas

na estrada, para nos alertar sobre limites

de velocidade, ou mesmo frear por nós em

situações de risco. E por que não lembrar

dos nossos smartphones?

Com o advento da IoT, os produtos in-

teligentes serão conectados, ampliando

funções e capacidade de decisão, pos-

sibilitando a cooperação com produtos

similares ou complementares. O carro

conectado, por exemplo, pode enviar in-

formações sobre velocidade das vias que

trafega, obstáculos e acidentes no per-