Table of Contents Table of Contents
Previous Page  15 / 40 Next Page
Information
Show Menu
Previous Page 15 / 40 Next Page
Page Background

Revista Abinee

março/2009

15

próprio comportamento

do consumidor.

Esta alteração do am-

biente levou a reprogramação

ou corte de investimentos desses

segmentos, impactando a cadeia

de produção com efeitos multipli-

cadores significativos.

No setor eletroeletrônico os re-

flexos não demoraram. A oscilação

cambial ocorrida no final de se-

tembro onerou demasiadamente os

produtos do segmento eletrônico e,

por esta razão, a comercialização de-

pendeu de negociações de preços num

ambiente desfavorável, onde predominava

a expectativa de retração de mercado, o que

dificultou bastante a concretização dos ne-

gócios.

Em fevereiro último, a

Abinee

apresen-

tou os dados consolidados de 2008, que

apontaram crescimento de 10% no fatura-

mento do setor eletroeletrônico, em relação

a 2007, atingindo R$ 123,1 bilhões. Apesar

de apresentarem números abaixo das expec-

tativas devido às dificuldades enfrentadas

pelas empresas, as áreas mantiveram taxas

positivas, com exceção de Componentes

Elétricos e Eletrônicos (-6%) e de Utilidades

Domésticas (-7%).

Em 2008, a indústria aumentou o número

de empregados de 156,1 mil, no final de 2007,

para 161,9 mil funcionários, no final de 2008,

refletindo o bom momento pelo qual passou o

setor durante boa parte do ano passado.

Também foi significativa a participação da

indústria elétrica e eletrônica no mercado in-

ternacional, com exportações que alcançaram

US$ 9,9 bilhões, 6% acima das realizadas em

2007 (US$ 9,3 bilhões). Em compensação, fi-

cou bastante evidente, em 2008, a ampliação

das importações que atingiram US$ 32,0 bi-

lhões e crescimento de 33%. Desta forma, o

déficit comercial dos produtos eletroeletrônicos

chegou a US$ 22,1 bilhões.

Perspectivas para 2009

Segundo expectativas da

Abinee

, o fatura-

mento da indústria elétrica e eletrônica crescerá

4%, em 2009, totalizando R$ 128,6 bilhões.

As vendas para o exterior deverão atingir

US$ 9,2 bilhões, valor inferior do verificado

em 2008 (US$ 9,9 bilhões). A desvalorização

cambial deverá beneficiar a indústria local,

com o aumento da competitividade no merca-

do interno.

Por conta disso, mais a própria retração do

mercado interno, as importações deverão apre-

sentar queda de 13%, passando a US$ 28 bilhões,

contra os US$ 32 bilhões do ano passado.

IMPORTAÇÕES DE PRODUTOS DO SETOR

ÁREAS

2006 2007 2008 2008

2007

Automação Industrial

1.326 1.757 2.276 30%

Componentes

11.910 13.648 17.824 31%

Equipamentos Industriais 1.519 1.892 2.806 48%

G T D

310 388 498 28%

Informática

1.400 1.883 2.242 19%

Material Elétrico

652 756 1.044 38%

Telecomunicações

1.235 2.021 3.203 58%

Utilidades Domésticas

1.355 1.708 2.140 25%

TOTAL

19.705 24.053 32.033 33%

(US$ milhões)

PROJEÇÕES DOS PRINCIPAIS

INDICADORES DO SETOR

INDICADOR

2008 2009 2009

2008

Faturamento (R$ milhões)

123.092 128.564

4%

Faturamento (US$ milhões)

66.989 54.205 -19%

Exportações (US$ milhões)

9.891

9.200

-7%

Importações (US$ milhões)

32.033 28.000 -13%

Saldo (US$ milhões)

-22.142 -18.800 -15%

Número de Empregados (mil)

162

162

0%