Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil - IBGE
Maio/2020

Produção da indústria elétrica e eletrônica cresce após três quedas consecutivas

Indústria elétrica e eletrônica

Maio

No mês de maio de 2020, a produção da industria elétrica e eletrônica cresceu 15,6% em relação ao mês imediatamente anterior, conforme dados do IBGE agregados pela Abinee, com ajuste sazonal.

Esse incremento ocorreu após três quedas consecutivas.

Produção Física

Vale lembrar que, desde fevereiro deste ano, a produção de bens eletrônicos já estava sendo prejudicada pelos problemas no recebimento de materiais, componentes e insumos da China.

As medidas de isolamento social devido à chegada da Covid-19 no Brasil impactaram a produção industrial a partir da última semana do mês de março, afetando o mês inteiro de abril.

No mês de maio deste ano já começou a ocorrer retorno de algumas plantas industriais, contribuindo para esse crescimento.

Porém é importante destacar que esse resultado positivo também contou com a fraca base de comparação, devido às três quedas seguidas desde fevereiro de 2020, com destaque para a forte redução observada em abril (-29,0%).

Mesmo com o aumento verificado no mês de maio de 2020, este resultado ficou muito abaixo do verificado em maio do ano passado (-33,9%), com fortes quedas na área elétrica (-36,5%) e na eletrônica (-31,1%).

É importante ressaltar que caiu a produção de todos os segmentos do setor, tanto da indústria elétrica quanto da eletrônica.

Na área elétrica, as maiores quedas ocorreram na produção de lâmpadas (-50,0%) e eletrodo-mésticos (-49,5%).

Foram observadas também reduções na produção de pilhas e baterias (-33,0%), geradores, transformadores e motores elétricos

(-31,7%), equipamentos para distribuição e controle de energia elétrica (-23,6%) e de outros equipamentos elétricos não especificados anteriormente (-26,4%) - onde estão classificados os aparelhos elétricos de alarme para proteção contra roubo ou incêndio e eletrodos, escovas e outros artigos de carvão ou grafita para usos elétricos.

Na área eletrônica, a queda mais expressiva foi na produção de bens de informática (-43,6%), seguida de aparelhos de áudio e vídeo (-30,9%), instrumentos de medida (-27,8%), componentes eletrônicos (-26,1%) e equipamentos de comunicação (-22,5%).

Produção Física

Acumulado Janeiro-Maio

No acumulado de janeiro a maio de 2020, a produção industrial do setor eletroeletrônico recuou 16,4%.

Esse resultado decorreu tanto da queda de 16,8% da área eletrônica, quanto da retração de 16,0% da área elétrica.

Anexos

O segmento de componentes eletrônicos foi o único de todo setor a apontar crescimento, atingindo 4,3% no período citado.

A produção dos demais itens eletrônicos apontou queda, com destaque para a redução de 23,6% nos equipamentos de comunicação.

Foram verificadas também retrações na produção de aparelhos para áudio e vídeo (-18,1%), de equipamentos para informática (-16,0%) e de instrumentos de medida (-10,5%).

Na área elétrica, a maior taxa de retração foi registrada na produção de lâmpadas (-26,4%), seguida de eletrodomésticos (-21,4%), de pilhas e baterias (-18,3%), de geradores, transformadores e motores (-13,3%) e de equipamentos para distribuição e controle de energia elétrica (-9,2%).

No caso de outros equipamentos elétricos não especificados anteriormente, a produção caiu 17,4%. Como já citado, nesse segmento estão classificados os aparelhos elétricos de alarme para proteção contra roubo ou incêndio e eletrodos, escovas e outros artigos de carvão ou grafita para usos elétricos.

Observa-se no gráfico abaixo que a média móvel anual da produção total da indústria eletroeletrônica vinha mostrando melhora nos últimos meses do ano passado, porém, piorou a partir de fevereiro de 2020.

Anexos

A retração desse indicador agravou-se a partir do mês de março em decorrência dos impactos negativos da pandemia da Covid-19, permanecendo-se em queda.

Indústria Geral

A produção da indústria geral cresceu 7,0% no mês de maio de 2020 em relação ao mês imediatamente anterior, com ajuste sazonal.

Nota-se que o incremento na produção da indústria eletroeletrônica (+15,6%) foi mais acentuado do que a elevação da indústria geral (+7,0%) e da indústria de transformação (+12,1%).

Porém vale lembrar que, em abril, a queda da indústria eletroeletrônica havia sido mais expressiva do que da indústria geral e de transformação.

Ao comparar com maio do ano passado, a produção da indústria geral caiu 21,9%, influenciada pela retração de 23,8% na indústria de transformação, visto que o recuo da indústria extrativa (-5,8%) foi mais modesto.

Observa-se que essas quedas foram menores do que a apontada pela indústria eletroeletrônica, que atingiu 33,9%.

No acumulado de janeiro a maio deste ano, a produção da indústria geral foi 11,3% inferior à verificada em igual período de 2019, decorrente da retração de 12,3% da indústria de transformação e do recuo de 3,1% da indústria extrativa.

Também neste caso as quedas foram menores do que a verificada pelo setor eletroeletrônico, que caiu 16,4% no acumulado dos primeiros cinco meses de 2020 em relação ao mesmo período do ano passado.

Ao avaliar por categorias econômicas, no acumulado de janeiro a maio de 2020, a produção de bens de capital recuou 21,0% e de bens de consumo caiu 17,1% ao comparar com o igual período de 2019.

Anexos

Anexos

As séries históricas desses indicadores estão disponíveis no site da Abinee em Economia e Estatísticas - Base de Dados Econômicos.

 
 
 

Informações Adicionais

Luiz Cezar Elias Rochel

Gerente de Economia

11 2175-0030

Informações Imprensa

Jean Carlo Martins

Assessor de Comunicação

11 2175-0099

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090