Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil - IBGE
Março/2021

Produção da indústria elétrica e eletrônica cresce 8,3% no primeiro trimestre de 2021 em comparação com o igual período do ano passado

Indústria elétrica e eletrônica

Março

A produção da indústria elétrica e eletrônica, conforme dados do IBGE agregados pela Abinee, apontou queda de 0,8% no mês de março de 2021, em relação ao mês imediatamente anterior, com ajuste sazonal.

Essa retração foi resultado do recuo de 2,1% da área elétrica, uma vez que a área eletrônica cresceu 0,6%.

Produção Física

Na comparação com março de 2020, a produção do setor aumentou 19,0%.

Vale lembrar que a produção do setor em março do ano passado já havia sido impactada pelos efeitos negativos da pandemia de covid-19 que chegava ao Brasil naquele período, o que favorece a comparação.

Produção Física

Destaca-se que, com exceção de janeiro de 2021, a produção do setor vem apontando resultados superiores aos atingidos em iguais períodos do ano anterior desde julho de 2020.

Produção Física

A elevação verificada em março de 2021 em comparação com março do ano passado resultou do crescimento de 20,6% da área elétrica e do acréscimo de 17,2% da área eletrônica.

Foram observados incrementos na produção de todos os segmentos analisados.

Na área elétrica, os principais destaques foram as pilhas e baterias (+32,3%) e os eletrodomésticos (+28,8%).

Em seguida foram observadas elevações na produção de equipamentos para distribuição e controle de energia elétrica (+17,6%), lâmpadas e outros equipamentos de iluminação (+15,6%) e de geradores, transformadores e motores elétricos (+11,1%).

No caso de outros equipamentos elétricos - onde estão classificados os aparelhos elétricos de alarme para proteção contra roubo ou incêndio e eletrodos, escovas e outros artigos de carvão ou grafita para usos elétricos -, a expansão foi de 2,0%.

Na área eletrônica, verificaram-se incrementos significativos na produção de instrumentos de medida (+39,4%), nos equipamentos de comunicação (+27,0%) e nos bens de informática (+26,6%).

Também foram identificadas elevações nos componentes eletrônicos (+5,8%) e nos aparelhos de áudio e vídeo (+3,9%).

Acumulado Janeiro-Março

No acumulado do primeiro trimestre de 2021, a produção industrial do setor eletroeletrônico ficou 8,3% acima da apontada em igual período de 2020.

Este incremento contou com a elevação de 13,2% da área elétrica e do acréscimo de 3,2% da área eletrônica.

Produção Física

Destaca-se que o crescimento de 17,2% na produção de bens da área eletrônica, no mês de março de 2021, foi suficiente para reverter a queda acumulada neste ano, que estava em 4,0% até o mês de fevereiro.

Esse resultado positivo no primeiro trimestre deste ano contou, principalmente, com a elevação de 29,9% na produção de equipamentos de informática.

Cresceu também a produção de instrumentos de medida (+10,7%) e de equipamentos de comunicação (+5,3%).

Por outro lado, recuou a produção de aparelhos para áudio e vídeo (-10,9%) e de componentes eletrônicos (-5,7%).

Na área elétrica observou-se incremento na produção de todos os segmentos analisados, com destaque para a elevação de 23,6% nas pilhas e baterias.

Em seguida, notou-se acréscimo na produção de eletrodomésticos (+19,2%) e de equipamentos para distribuição e controle de energia elétrica (+10,6%).

No caso dos equipamentos elétricos não especificados anteriormente, que como já citado, estão classificados os aparelhos elétricos de alarme para proteção contra roubo ou incêndio e eletrodos, escovas e outros artigos de carvão ou grafita para usos elétricos, a elevação foi de 10,5%.

Cresceram também a produção de lâmpadas e outros equipamentos de iluminação (+5,3%) e de geradores, transformadores e motores (+4,9%).

Média Móvel Anual

Observa-se no gráfico abaixo que a média móvel anual da produção total da indústria eletroeletrônica vinha mostrando melhora nos últimos meses de 2019, porém, piorou a partir de fevereiro de 2020.

A retração desse indicador agravou-se a partir do mês de março em decorrência dos impactos negativos da pandemia da Covid-19, permanecendo em queda até junho.

Contudo, a partir de julho de 2020, já foi possível observar melhora neste índice, sugerindo retomada da atividade.

Os resultados favoráveis apontados nos últimos meses de 2020 amenizaram a queda da produção da indústria eletroeletrônica, que encerrou o ano com uma retração mais amena do que se esperava em meados do ano passado.

Apesar da leve queda observada em janeiro deste ano, esse índice voltou a ficar positivo em fevereiro e em março de 2021.

Var % da Produção Física

Destaca-se que estes resultados vêm ocorrendo mesmo com as dificuldades na aquisição de insumos e matérias-primas e com as elevações de preços destes itens que as empresas vem enfrentando desde meados do ano passado.

As indústrias do setor esperam que esses entraves sejam amenizados ainda neste primeiro semestre do ano.

As expectativas para 2021 permanecem favoráveis apesar do aumento da cautela dos empresários do setor devido ao agravamento da pandemia e das medidas mais restritivas implementadas em algumas regiões do país neste último mês de março.

Os resultados para os próximos meses vão dependem do controle da Covid-19, da velocidade da vacinação em massa e também das ações do Governo para minimizar os efeitos da pandemia.

Também são aguardadas as urgentes aprovações das reformas que reduzam o Custo Brasil, criando condições adequadas para produção e geração de empregos.

Indústria Geral

No mês de março de 2021, a produção da indústria geral recuou 2,4% em relação ao mês imediatamente anterior, com ajuste sazonal. Destaca-se que essa queda foi mais expressiva do que a retração de 0,8% da indústria eletroeletrônica.

Na comparação com março de 2020, a produção da indústria geral cresceu 10,4%, taxa inferior ao incremento de 19,0% do setor eletroeletrônico.

Var % da Produção Física

No primeiro trimestre de 2021, a produção da indústria geral foi 4,3% superior à verificada em igual período de 2020, decorrente da elevação de 5,2% da indústria de transformação, uma vez que a indústria extrativa caiu 2,1%.

Var % da Produção Física

Nota-se que, também neste caso, o resultado da indústria eletroeletrônica (+8,3%) foi melhor do que o da indústria geral e da indústria de transformação.

Ao avaliar por categorias econômicas, no período acumulado de janeiro a março de 2021, destacou-se a elevação de 20,3% na produção de bens de capital em comparação com o primeiro trimestre do ano passado.

No caso de bens de consumo, a elevação foi mais modesta, atingindo 0,9% no período citado.

Anexos

As séries históricas desses indicadores estão disponíveis no site da Abinee em Economia e Estatísticas - Base de Dados Econômicos.

 
 
 

Informações Adicionais

Cristina Keller

Analista de Economia

11 2175-0031

Informações Imprensa

Jean Carlo Martins

Assessor de Comunicação

11 2175-0099

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090