Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil - IBGE
Maio/2022

Produção da indústria elétrica e eletrônica cresce 4,6% no mês de maio, compensando a queda verificada no mês anterior

Indústria elétrica e eletrônica

Maio

A produção da indústria elétrica e eletrônica, conforme dados do IBGE agregados pela Abinee, cresceu 4,6% no mês de maio de 2022 ao comparar com o mês imediatamente anterior, com ajuste sazonal.

Este incremento compensou a queda de 0,7% observada em abril.

Produção Física

A elevação verificada em maio foi resultado da ampliação de 3,6% da área eletrônica e do acréscimo de 5,5% da área elétrica.

Na comparação com maio do ano passado, a produção do setor ficou estável (0,0%).

Com isso, nota-se também que a produção do setor retomou os patamares de janeiro e fevereiro de 2020, período anterior à pandemia. (gráfico acima)

A estabilidade na produção observada em maio de 2022 em relação a maio do ano passado resultou do crescimento de 7,1% da área eletrônica e da queda de 6,2% da área elétrica.

Var % Produção Física

Vale destacar que maio de 2021 pode ser considerado uma base forte de comparação, principalmente para a área elétrica, que havia crescido 48,8% em relação a maio de 2020.

Ao avaliar a produção de bens da área eletrônica no mês de maio de 2022 nota-se que todos os segmentos apontaram incrementos, com destaque para os componentes eletrônicos (+16,0%), bens de informática e periféricos (+8,5%) e aparelhos de áudio e vídeo (+8,2%).

Em seguida, foram observados crescimentos na produção e equipamentos de comunicação (+4,9%) e de instrumentos de medida (+0,2%).

No caso da área elétrica, foram observadas quedas na produção de lâmpadas e outros equipamentos de iluminação (-20,5%), pilhas e baterias (-19,1%) e eletrodomésticos (-16,0%) e equipamentos para distribuição e controle de energia elétrica (-4,1%).

Por outro lado, cresceu a produção de geradores, transformadores e motores elétricos (+8,7%) e de outros equipamentos elétricos (+9,0%). Neste último segmento estão classificados os aparelhos elétricos de alarme para proteção contra roubo ou incêndio e eletrodos, escovas e outros artigos de carvão ou grafita para usos elétricos.

Acumulado Janeiro-Maio

No acumulado de janeiro a maio de 2022, a produção industrial do setor eletroeletrônico caiu 9,7% em relação ao igual período de 2021.

Essa retração resultou do recuo de 16,2% da área elétrica e da queda de 2,1% da área eletrônica.

Var % Produção Física

Destaca-se que a área elétrica que apontou queda mais expressiva no acumulado dos primeiros cinco meses de 2022, também havia registrado aumento mais significativo neste mesmo período do ano passado.

Vale lembrar que a produção da área elétrica havia aumentado 28,2% em janeiro-maio de 2021, enquanto que o incremento da área eletrônica foi de 15,4%, sempre comparados aos iguais períodos de 2020.

Ao avaliar a produção realizada no acumulado dos primeiros cinco meses de 2022, verifica-se recuo em quase todos os segmentos da área elétrica em relação ao igual período de 2021, com destaque para as quedas na produção de lâmpadas e outros equipamentos de iluminação (-26,5%), eletrodomésticos (-25,1%) e pilhas e baterias (-21,0%),

Em seguida, foram observadas retrações na produção de equipamentos para distribuição e controle de energia elétrica (-16,9%) e geradores, transformadores e motores (-2,4%).

Ainda no que se refere à área elétrica, cresceu apenas a produção de outros equipamentos elétricos (+12,2%). Como já citado, neste segmento estão classificados os aparelhos elétricos de alarme para proteção contra roubo ou incêndio e eletrodos, escovas e outros artigos de carvão ou grafita para usos elétricos.

No caso da área eletrônica, os principais destaques foram os incrementos na produção de componentes eletrônicos (+14,2%), de bens de informática e periféricos (+11,5%) e de equipamentos de comunicação (+5,0%).

Por outro lado, caiu a produção de instrumentos de medida (-13,7%) e de aparelhos para áudio e vídeo (-13,2%), que prejudicou o resultado total desta eletrônica.

Média Móvel Anual

Observa-se, no gráfico abaixo, que, a partir do 2º semestre de 2021, a média móvel anual da produção total da indústria eletroeletrônica começou a indicar perda de dinamismo da atividade.

Produção Física

Esse comportamento vem sendo influenciado pela falta de matérias-primas e componentes no mercado, principalmente de semicondutores e sua consequente alta de preços.

Além disso, essas dificuldades foram ainda mais agravadas pelas restrições (“lockdowns”) anunciadas em algumas regiões da China para combater a Covid-19, pelo prolongamento dos conflitos entre a Rússia e a Ucrânia, e também pela operação padrão de auditores fiscais da Receita Federal do Brasil, que vem afetando as importações de bens do setor.

Mesmo com esses entraves, nota-se que nos últimos meses a produção começou a esboçar sinais de recuperação. A média móvel anual da produção no mês de maio interrompeu o movimento de queda que vinha ocorrendo desde meados do ano passado, podendo indicar estabilidade ou até mesmo melhora da atividade.

As medidas de estímulo à economia implementadas pelo governo, como a liberação de recursos do FGTS e antecipação do 13º salário para aposentados e pensionistas podem ter contribuído para este movimento.

Também vale destacar que o Índice de Confiança do Empresário Industrial do Setor Eletroeletrônico vem aumentando nos últimos meses.

A sondagem realizada pela Abinee mostra que as expectativas para 2022 permanecem favoráveis, mesmo em um cenário de incertezas, com crescimento modesto do PIB e elevação da inflação e taxa de juros, fatores que inibem os investimentos.

Indústria Geral

No mês de abril de 2022, a produção da indústria geral aumentou 0,3% em relação ao mês imediatamente anterior, com ajuste sazonal, apontando a quarta elevação consecutiva.

Ao comparar com maio de 2021, a produção industrial cresceu 0,5%.

No acumulado de janeiro a maio de 2022, a produção da indústria geral recuou 2,6% em relação ao mesmo período de 2021. Nota-se que essa queda foi mais modesta do que a retração de 9,7% da indústria eletroeletrônica.

Porém, é importante destacar que a base de comparação da indústria eletroeletrônica é mais forte do que a base de comparação da indústria geral. Vale lembrar que, no acumulado dos primeiros cinco meses de 2021, a produção da indústria eletroeletrônica havia crescido 21,9%, percentual mais expressivo do que o incremento de 13,2% da produção da industrial geral, sempre comparado ao igual período de 2020.

Ao avaliar por categorias econômicas, no acumulado de janeiro a maio de 2022, observou-se retração de 1,1% na produção de bens de capital e recuo de 4,2% na produção de bens de consumo ao comparar com o mesmo período de 2021.

Var % da Produção Física

Anexos

Anexos

As séries históricas desses indicadores estão disponíveis no site da Abinee em Economia e Estatísticas - Base de Dados Econômicos.

 
 
 

Informações Adicionais

Cristina Keller

Assessora de Economia

11 2175-0031

Informações Imprensa

Jean Carlo Martins

Assessor de Comunicação

11 2175-0099

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090