Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil - IBGE
Janeiro/2020

Indústria elétrica e eletrônica

Janeiro

A produção industrial do setor elétrico e eletrônico apresentou sinais de recuperação neste início de ano. Conforme dados do IBGE, houve crescimento de 4,0% no mês de janeiro de 2020 em relação ao mesmo mês do ano passado.

Utilizando o mesmo período de comparação, o resultado apresentado pelo setor em janeiro de 2020 foi melhor do que o observado na indústria geral (-0,9%) e na indústria de transformação (+1,4%).

Produção Física

Na indústria eletrônica, o crescimento em relação a dezembro foi de 3,0% (com ajuste sazonal) e de 3,7% na comparação com janeiro de 2019.

Esta performance ocorreu devido ao crescimento de 56,2% em componentes eletrônicos; de 17,2% em aparelhos e instrumentos de medida, teste e controle, cronômetros e relógios e de 4,5% na fabricação de aparelhos de recepção, reprodução, gravação e amplificação de áudio e vídeo.

Por outro lado, houve queda na produção de equipamentos de informática e periféricos (-0,2%) e equipamentos de comunicação (-13,2%).

No caso da indústria elétrica o segmento que mostrou maior crescimento foi o de eletrodomésticos (+10,2%), seguido de geradores, transformadores e motores elétricos (+4,8%) e de lâmpadas e outros equipamentos de iluminação (+3,7%), enquanto a fabricação de equipamentos para distribuição e controle de energia cresceu apenas 0,7%.

Por outro lado, foi significativa a queda de 23,1% na produção dos demais aparelhos elétricos não especificados anteriormente, segmento no qual estão classificados os alarmes e aparelhos de proteção contra roubo e incêndio. Também houve queda na produção de pilhas, baterias e acumuladores elétricos (-3,8%).

Ainda assim, é importante observar no gráfico abaixo o crescimento que vem ocorrendo nos últimos cinco meses na média móvel anual da produção total da indústria eletroeletrônica.

Produção Física

Indústria Geral

Em janeiro de 2020, a produção da indústria geral caiu 0,9 na comparação com mesmo mês do ano anterior, desempenho muito inferior ao observado tanto no setor elétrico como no setor eletrônico.

A performance da indústria extrativa teve significativa influência neste resultado, uma vez que houve queda de 14,9%, na comparação com janeiro de 2019.

Quanto à indústria de transformação (+1,4%), houve contribuição positiva da fabricação de bens de capital, que cresceu 3,8%. A fabricação de bens de consumo ficou estável, enquanto que a fabricação de bens intermediários mostrou queda de 1,6%, sempre na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Todavia, comparado a dezembro de 2019 (com ajuste sazonal), com exceção da indústria extrativa, que mostrou queda de 3,1%, todos os demais segmentos cresceram: bens de capital, 12,6%; bens intermediários, 0,8%; e bens de consumo, 0,4%. Para a indústria de transformação como um todo o crescimento foi de 1,5%.

Produção Física

Anexos

As séries históricas desses indicadores estão disponíveis no site da Abinee em Economia e Estatísticas - Base de Dados Econômicos.

 
 
 

Informações Adicionais

Luiz Cezar Elias Rochel

Gerente de Economia

11 2175-0030

Informações Imprensa

Jean Carlo Martins

Assessor de Comunicação

11 2175-0099

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090