Avaliação Conjuntural do Setor Eletroeletrônico- 2º Trimestre/2021

Atividade

Os principais indicadores da indústria eletroeletrônica apontaram resultados favoráveis no primeiro semestre de 2021.

Destaca-se que a maior parte dos indicadores mostraram taxas expressivas no segundo trimestre de 2021, influenciadas pela base fraca de comparação. Vale lembrar que o segundo trimestre de 2020 foi o período do ano passado em que os indicadores do setor foram mais afetados pelos efeitos da pandemia de Covid-19.

Além disso, no caso do faturamento, o aumento da inflação também contribuiu para as elevadas taxas apontadas no primeiro semestre deste ano, uma vez que o Índice de Preços ao Produtor – IPP do setor eletroeletrônico, calculado pelo IBGE e agregado pela Abinee, atingiu 22% no primeiro trimestre de 2021 e 18% no segundo trimestre deste ano.


Variação do Faturamento

Dessa forma, o faturamento nominal da indústria eletroeletrônica acumulou incremento de 42% no primeiro semestre de 2021 em relação ao mesmo período de 2020, resultado da elevação de 30% no primeiro trimestre e expansão de 54% no segundo trimestre de 2021, sempre comparados com iguais períodos de 2020.

Ao descontar a inflação do setor (IPP), que atingiu 20% no primeiro semestre de 2021, o crescimento real do faturamento da indústria eletroeletrônica foi de 18% neste período, com elevação de 7% no primeiro trimestre e acréscimo de 31% no segundo trimestre deste ano.

É importante ressaltar que a alta da inflação do setor vem sendo influenciada pela falta de matérias-primas e componentes, principalmente dos semicondutores no mercado. Esses entraves vêm sendo citados desde meados do ano passado, que além de gerar aumento de preços também estão causando dificuldades para as empresas do setor, como atrasos na produção e entrega, chegando até mesmo a provocar, em alguns casos, paralisação parcial da produção.

Destaca-se que alguns gargalos logísticos, tais como o incremento nos custos dos fretes marítimos, também estão contribuindo com a alta da inflação do setor.

Ao analisar os demais indicadores da indústria eletroeletrônica, também foram verificados resultados favoráveis apesar dos entraves citados acima.

A produção da indústria eletroeletrônica, conforme dados do IBGE agregados pela Abinee, cresceu 20,2% no primeiro semestre de 2021 em relação ao igual período do ano anterior, com incremento de 24,2% na área elétrica e expansão de 15,7% na área eletrônica.

O incremento de 20,2% na produção do setor eletroeletrônico, apontado no primeiro semestre deste ano, resultou do acréscimo de 8,8% no primeiro trimestre e da expansão de 35,3% no segundo trimestre de 2021 em relação aos mesmos períodos do ano passado.

Mercado de PCS, Celulares e Tablets

Vale destacar que a produção da indústria eletroeletrônica, apontada no primeiro semestre de 2021, também superou o patamar observado no período anterior à pandemia, com elevação de 2,5% em relação ao primeiro semestre de 2019.

A utilização da capacidade instalada não apontou oscilações significativas neste ano, encerrando o mês de junho de 2021 em 77%, um ponto percentual abaixo do observado em dezembro de 2020 (78%) e em março deste ano (78%).

Exportações de Produtos do Setor

O nível de emprego da indústria eletroeletrônica encerrou o mês de junho de 2021 com 262,6 mil funcionários, conforme dados do Novo Caged.

Com isso, o setor eletroeletrônico registrou aumento de 14,5 mil postos de trabalho no primeiro semestre de 2021 ao comparar com dezembro do ano passado. Lembrando que este resultado representa o saldo, ou seja, a diferença entre admissões e desligamentos.

Com exceção do mês de dezembro de 2020, o nível de emprego da indústria eletroeletrônica vem aumentando desde junho do ano passado.

Destaca-se que a média do número de trabalhadores do primeiro semestre de 2021 ficou 11% acima do igual período de 2020 e também foi 9% superior ao primeiro semestre de 2019.

Exportações de Produtos do Setor

No mercado internacional, as exportações de bens do setor somaram US$ 2,6 bilhões no primeiro semestre de 2021, 25% acima das apontadas no mesmo período de 2020.

Esse incremento contou com a elevação de 53,7% no segundo trimestre deste ano, uma vez que no primeiro trimestre as vendas externas ficaram praticamente estáveis (+0,3%) ao comparar com os iguais períodos de 2020.

Exportações de Produtos do Setor

Mesmo com essa melhora, as exportações permaneceram abaixo das vendas externas ocorridas em janeiro-junho de 2019 (-4%), período anterior á pandemia.

As importações totalizaram US$ 19,2 bilhões, no acumulado dos primeiros seis meses de 2021, 29% acima do resultado verificado em janeiro-junho de 2020, decorrente da elevação de 14,3% no primeiro trimestre e do incremento de 48,5% no segundo trimestre.

Destaca-se que no caso das importações, o resultado obtido no primeiro semestre de 2021 foi superior ao verificado no primeiro semestre de 2019 (+22%).

Exportações de Produtos do Setor

Perspectivas

As perspectivas para esse ano são favoráveis. Ainda que com cautela, devido, principalmente, à dificuldade à aquisição de componentes eletrônicos e matérias-primas no mercado e à sua consequente alta de preços.

Além disso, mesmo com o bom o ritmo de vacinação no país, as atenções continuam voltadas para o controle da pandemia de Covid-19 no Brasil e no mundo.

Outro fator de alerta para os empresários do setor é a possibilidade de uma crise hídrica, que pode ameaçar o fornecimento de energia no Brasil, gerando aumento de preços, além de inibir a atividade econômica.

Conforme dados da CNI agregados pela Abinee, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) do Setor Eletroeletrônico atingiu 63,3 pontos no mês de agosto de 2021, registrando o maior patamar deste ano.

Nota-se que este foi o quarto crescimento consecutivo, após quatro quedas seguidas. Dessa forma, o ICEI da indústria eletroeletrônica permaneceu acima da linha divisória dos 50 pontos, desde agosto do ano passado, demonstrando confiança do empresário industrial do setor.

Conforme sondagens realizadas mensalmente pela Abinee, as expectativas estão otimistas para 2021. No levantamento referente ao mês de julho, 79% das entrevistadas projetaram crescimento para este ano em comparação a 2020, 17% esperam estabilidade e apenas 4% estão prevendo queda.

Exportações de Produtos do Setor

Para 2021, o faturamento da indústria eletroeletrônica deverá somar R$ 216,3 bilhões, 25% acima do resultado verificado em 2020. Todas as áreas deverão apontar taxas positivas.

Ao descontar a inflação prevista para o IPP da indústria eletroeletrônica de 17%, o crescimento real do setor deverá ser na ordem de 7%.

A produção industrial do setor eletroeletrônico também deverá aumentar 7%.

Ainda referente a 2021, as exportações deverão apontar incremento de 18%, atingindo US$ 5,3 bilhões, e as importações devem subir 27% alcançando US$ 38,0 bilhões.

Com isso, o déficit da balança comercial de produtos do setor deverá elevar-se 29% neste ano, registrando US$ 32,7 bilhões.

O número de empregados no setor deverá totalizar 264 mil trabalhadores no final de 2021, acréscimo de 6% em relação ao ano passado (248 mil).

A utilização da capacidade instalada deverá ficar em torno de 82%. E os investimentos devem registrar R$ 3,7 bilhões, 26% superior ao de 2020.

Exportações de Produtos do Setor

 
 
 

Informações Adicionais

Cristina Keller

Analista de Economia

11 2175-0031

Informações Imprensa

Jean Carlo Martins

Assessor de Comunicação

11 2175-0099

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090