Avaliação Conjuntural do Setor Eletroeletrônico- 2º Trimestre/2020

Atividade

Os principais indicadores do setor eletroeletrônico mostraram a forte queda da atividade no 2º trimestre/20 causada pela pandemia da Covid-19.

Comparando os dados do 2ª trimestre/20 com o mesmo trimestre do ano passado, o faturamento nominal da indústria eletroeletrônica caiu 8% que, em termos reais, descontada a inflação do setor, representou queda de 18%. Por sua vez, a produção caiu 28% e o número de empregados recuou 4%.


Variação do Faturamento

As exportações não tiveram melhor desempenho, dado que também retraíram-se no período, passando de US$ 1,5 bilhão no 2º trimestre/19 para US$ 970 milhões no 2 trimestre/2020, com queda de 35%.

Também reflete a retração da atividade da indústria eletroeletrônica no 2º trimestre/20 a queda de 25% das importações de produtos eletroeletrônicos, que passaram de US$ 8,1 bilhões para US$ 6,1 bilhões.

Os faturamentos das áreas de Automação Industrial; Geração, Transmissão e distribuição Energia Elétrica (GTD) e Informática, ao contrário das demais, cresceram no 2º trimestre/20 na comparação com igual período do ano anterior, fato justificado por encomendas ocorridas em meses anteriores cujos respectivos faturamentos ocorreram no 2º trimestre.

As demais áreas da indústria eletroeletrônica verificaram quedas nas suas receitas que variaram de -30% no caso de Utilidades Domésticas a -12% para Material Elétrico de Instalação.

Para os Bens de Informática, atribui-se o crescimento ao mercado de notebooks, devido à expansão do sistema de home-office, cuja modalidade teve por finalidade o isolamento social imposto pelo Coronavírus.

Conforme dados da consultoria IDC, as vendas em unidades de notebooks que, já apresentavam crescimento no 1º trimestre do ano (+21%), mantiveram-se estáveis no 2º trimestre na comparação com igual período do ano passado, apesar de toda a retração de mercado de bens de informática.

Mercado de PCS, Celulares e Tablets

Apesar da expressiva retração da atividade do setor no 2º trimestre, cujo pior momento foi em abril, o mês de maio mostrou tendência de recuperação, fato que passou a ocorrer nos meses seguintes. Considerando a comparação junho em relação a abril, a produção cresceu 50%. Em abril/20 comparado com abril/19, a queda tinha sido de 43%, em junho/20 a queda foi de 3% vis a vis junho/19.

O nível de Utilização da Capacidade Instalada passou de 57% em abril para 68% em junho, enquanto que o Índice de Confiança das empresas do Setor Eletroeletrônico passou de 32,6 para 40,3 pontos na mesma comparação, conforme dados da CNI agregados pela Abinee.

Com estes resultados, o faturamento da indústria eletroeletrônica cresceu no 1º semestre/20 apenas 1% comparado com o 1º semestre/19, o que em termos reais representou queda de 7%.

No período de janeiro a junho, o número de empregados no setor foi reduzido em 6,5 mil pessoas, dado que o total de funcionários que estava em 234,5 mil trabalhadores em dezembro de 2019, passou para 228 mil trabalhadores em junho de 2020.

As exportações caíram 23% enquanto as importações retraíram-se em 12%.

Exportações de Produtos do Setor

Perspectivas

As expectativas para 2020 começaram otimistas no início deste ano, porém os ânimos foram esfriando no decorrer dos meses, até os problemas da Covid-19 se apresentarem efetivamente.

Como mencionado, as expectativas das empresas melhoram bastante nos últimos meses, chegando muito perto dos níveis pré-pandemia, conforme dados da CNI, agregado pela ABINEE.

Sendo assim, o ICEI do setor continua acima da linha dos 50 pontos, o que mostra retomada da confiança do empresário.

O faturamento do setor deverá encerrar 2020 com R$ 156 bilhões, 2% acima de 2019.

A projeção para a produção física de bens eletroeletrônicos é de queda de 4% em relação ao ano passado.

As exportações deverão cair 15%, atingindo US$ 4,8 bilhões, sofrendo impacto negativo da queda das vendas para a Argentina.

As importações deverão cair 10% em relação a 2019 somando US$ 28,9 bilhões. Com estes resultados, o déficit da balança comercial de produtos eletroeletrônicos deverá registrar US$ 24,2 bilhões, 9% inferior Ao verificado no ano passado.

A utilização da capacidade instalada será de 75%, indicando que continuará alto o grau de ociosidade do setor.

O número de empregados no setor deverá atingir 238 mil trabalhadores, com aumento de 3,5 mil trabalhadores em relação ao final do ano passado.

Os investimentos deverão ser 1,6% do faturamento, patamar ainda muito inferior à média histórica do setor - cerca de 3,0% do faturamento.

Projeções de Faturamento por Área

 
 
 

Informações Adicionais

Luiz Cezar Elias Rochel

Gerente de Economia

11 2175-0030

Informações Imprensa

Jean Carlo Martins

Assessor de Comunicação

11 2175-0099

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090