Desempenho Setorial

Dados Atualizados em Março de 2016

O faturamento da indústria Elétrica e Eletrônica em 2015 atingiu R$ 142,5 bilhões, 7% abaixo do verificado em 2014 (R$ 153,8 bilhões). Em termos reais, a queda foi de 14%.

Outros importantes indicadores de desempenho do Setor Eletroeletrônico no ano de 2015 foram os seguintes:

Os investimentos retraíram 16%, passando de R$ 3,8 bilhões, em 2014, para R$ 3,2 bilhões, em 2015;

O número de empregos diretos, que no final de 2014 era de 293.610 funcionários, terminou 2015 com 248.079, ou seja, redução de 45.531 trabalhadores;

As exportações retraíram 10%, caindo de US$ 6,6 bilhões, em 2014, para US$ 5,9 bilhões, em 2015. Foram observadas quedas para os principais mercados da indústria eletroeletrônica, como os países da Aladi e os Estados Unidos, que em conjunto representaram 65% das vendas externas do setor;

As importações reduziram 24%, passando de US$ 41,2 bilhões, em 2014, para US$ 31,4 bilhões, em 2015;

A produção física do setor retraiu 21% em relação a 2014, conforme dados do IBGE.

Estes indicadores refletem a grave crise político-econômica enfrentada pelo país, que culminou com taxa de inflação superior a 10%, retração do PIB em 3,8%, elevação da dívida pública bruta para 66,2% do PIB, taxa média de desemprego no ano de 6,8% da população economicamente ativa.

As consequências e incertezas decorrentes desse quadro têm justificado tanto a retração do consumo quanto dos investimentos.

No caso dos bens de consumo do setor eletroeletrônico, a indústria de Informática teve queda de 20% no faturamento. Considerando as vendas em unidades, os resultados foram ainda piores como pode ser observado a seguir.

Conforme dados da Consultoria IDC, as vendas de desktops caíram 36%, os notebooks 36% e tablets 38%, na comparação de 2015 com 2014. Destaca-se que estes produtos, além da queda do mercado, vêm se ressentindo com a concorrência dos smartphones.

Quanto aos celulares, o faturamento nominal recuou 4% e as vendas em unidades caíram 27%, sendo que a redução dos tradicionais foi de 74% os smartphones retraíram 13%.

O faturamento da indústria de Material Elétrico de Instalação recuou 13% em 2015 na comparação com 2014. Neste caso, além da inibição do consumo, o governo adotou medidas que afetaram duramente a indústria de construção civil, importante mercado para esses produtos.

Os juros para financiamento para aquisição da casa própria foram elevados, os recursos para as construções do Programa Minha Casa Minha Vida reduzidos, assim como o nível de participação do financiamento da Caixa Econômica Federal. As empreiteiras estão com elevado nível de endividamento, e os estoques de imóveis, tanto comerciais como residenciais, cresceram significativamente.

Com isso, conforme dados do IBGE, a indústria da construção civil teve queda real de 8%, afetando, dessa forma, toda sua cadeia de produção, inclusive de Material Elétrico de Instalação.

Os setores de bens de capital da indústria eletroeletrônica (Automação Industrial e Equipamentos Industriais) tiveram dificuldades com a queda de encomendas devido à retração dos investimentos. A Formação Bruta de Capital Fixo do país apontou queda real de 14% em 2015 em relação a 2014.

O setor de Equipamentos Industriais só não teve desempenho pior em função do crescimento do valor das exportações em Reais. O crescimento das vendas (em Reais) para o mercado externo em 2015 foi de 30%.

No que diz respeito à indústria de equipamentos para Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica - GTD - ocorreu crescimento de faturamento de 2%, porém, a queda real foi de 5%.

Este setor sofreu impacto da contenção dos investimentos das concessionárias de energia elétrica, principalmente dos segmentos de Transmissão e Distribuição. No caso da Transmissão, a contenção foi causada pelas condições pouco atrativas dos leilões ocorridos nos últimos dois anos, o que resultou em um volume de negócios menor no período. E na Distribuição, as concessionárias continuaram com pouca capacidade de investimentos devido à situação financeira ainda difícil. Apesar dos reajustes tarifários, uma parcela expressiva desses recursos atendeu ao pagamento dos custos decorrentes da geração emergencial, o que implicou na transferência desses valores para as concessionárias do segmento de geração, ou seja, muito pouco ficou com as distribuidoras.

Com isso, as distribuidoras permaneceram com dificuldades para realizar novos investimentos.

No caso da Geração, os investimentos ocorreram conforme os cronogramas previstos, mas observou-se a importação de partes e peças, em especial de aerogeradores e sistemas fotovoltaicos.

Em relação à infraestrutura para Telecomunicações, não houve expansão significativa dos investimentos das prestadoras de serviços e, desta forma, as aquisições de equipamentos por estas empresas permaneceram retraídos.

Quanto aos Componentes Elétricos e Eletrônicos, o setor teve ao seu favor o crescimento das exportações, que compensou parcialmente a queda do mercado interno. A receita em Reais das vendas externas de componentes cresceu 32% neste ano. Os principais componentes exportados foram os destinados para equipamentos industriais, eletrônica embarcada e motocompressores herméticos.

Perspectivas

Para 2016, as empresas do Setor Eletroeletrônico projetam, em termos nominais, estabilidade do faturamento em relação a 2015. Entretanto, em termos reais, deverá ocorrer queda da ordem de 6%.

Esta projeção é compatível com a expectativa de nova queda do PIB prevista para 2016, já estimada em -3,6%, segundo o último boletim Focus.

Por sua vez, as exportações poderão aumentar a participação nos negócios de setor com crescimento da ordem de 5%, enquanto as importações deverão ressentir-se do pouco dinamismo do mercado interno, registrando queda de 7%.

Diante desse quadro, o emprego do setor deverá cair 2%, totalizando 243 mil trabalhadores diretos no final de 2016.

Os investimentos da indústria eletroeletrônica deverão ficar estáveis em relação a 2015, atingindo R$ 3,3 bilhões.

ANEXOS

Quadro 1
Faturamento Total por Área (R$ milhões a preços correntes)

Áreas 2013 2014 2015  2015X
 2014  
Automação Industrial 4.368 4.523 4.508 0%
Componentes Elétricos e Eletrônicos 10.696 10.370 10.071 -3%
Equipamentos Industriais 23.599 25.718 26.550 3%
GTD * 16.220 15.742 16.103 2%
Informática 47.046 37.660 30.170 -20%
Material Elétrico de Instalação 9.478 9.689 8.472 -13%
Telecomunicações 26.689 29.592 28.309 -4%
Utilidades Domésticas 18.649 20.522 18.357 -11%
Total 156.745 153.816 142.540 -7%

* GTD - Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica

Quadro 2
Var % Faturamento do Setor Eletroeletrônico
Ano 2015 X Ano 2014

Áreas Var %
Nominal
Var %
Real **
Automação Industrial 0% -7%
Componentes Elétricos e Eletrônicos -3% -9%
Equipamentos Industriais 3% -4%
GTD * 2% -5%
Informática -20% -25%
Material Elétrico de Instalação -13% -18%
Telecomunicações - Infraestrutura -8% -14%
Telecomunicações - Celular -4% -10%
Utilidades Domésticas -11% -17%
Total -7% -14%

* GTD - Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica

** Deflacionando pelo IPP - Índice de Preços ao Produtor - da Indústria de Transformação do IBGE - Ano de 2015 = +7,24%

Quadro 3

Principais Indicadores do Setor

Indicador 2014 2015 2015
 2014  
Faturamento Nominal (R$ milhões) * 153.816 142.540 -7%
Faturamento (US$ milhões) 65.322 42.693 -35%
Exportações (US$ milhões) 6.552 5.912 -10%
Importações (US$ milhões) 41.158 31.435 -24%
Saldo (US$ milhões) -34.606 -25.522 -26%
Nº de Empregados (mil) 293,6 248,1 -16%

* variação real = -14%


Faturamento Total

Quadro 4
Exportações de Produtos do Setor (US$ milhões)

Áreas 2013 2014 2015  2015X
 2014  
Automação Industrial 535 564 495 -12%
Componentes Elétricos e Eletrônicos 3.285 2.880 2.686 -7%
Equipamentos Industriais 1.341 1.369 1.259 -8%
GTD 803 790 605 -23%
Informática 386 299 267 -11%
Material Elétrico de Instalação 97 97 105 7%
Telecomunicações 432 263 224 -15%
Utilidades Domésticas 339 290 272 -6%
Total 7.218 6.552 5.912 -10%

Quadro 5
Importações de Produtos do Setor
(US$ milhões)

Áreas 2013 2014 2015  2015X
 2014  
Automação Industrial 4.410 4.139 3.561 -14%
Componentes Elétricos e Eletrônicos 24.569 23.799 17.903 -25%
Equipamentos Industriais 4.076 3.685 3.051 -17%
GTD 1.819 1.373 957 -30%
Informática 2.776 2.467 1.722 -30%
Material Elétrico de Instalação 1.026 959 718 -25%
Telecomunicações 2.876 2.853 1.952 -32%
Utilidades Domésticas 2.047 1.884 1.570 -17%
Total 43.599 41.158 31.435 -24%

Quadro 6
Exportações de Produtos do Setor por
Blocos Econômicos (US$ milhões)

Regiões 2013 2014 2015  2015X
 2014  
Estados Unidos 1.195 1.212 1.057 -13%
Aladi (Total) 3.704 3.070 2.807 -9%
- Argentina 1.550 1.187 1.084 -9%
- Outros Aladi 2.153 1.883 1.724 -8%
União Européia 1.002 902 691 -23%
Ásia (Total)* 622 714 809 13%
- China 200 234 438 -87%
- Outros Ásia 422 480 371 -23%
Demais Países do Mundo 695 655 548 -16%
Total 7.218 6.552 5.912 -10%

* Exceto Oriente Médio

Quadro 7
Importações de Produtos do Setor por
Blocos Econômicos (US$ milhões)

Regiões 2013 2014 2015  2015X
 2014  
Estados Unidos 5.428 4.897 3.660 -25%
Aladi (Total) 1.295 1.333 1.296 -3%
- Argentina 266 198 144 -27%
- Outros Aladi 1.029 1.134 1.152 2%
União Européia 7.472 6.496 5.234 -19%
Ásia (Total) * 27.880 27.224 20.352 -25%
- China 16.197 15.780 12.111 -23%
- Outros Ásia 11.683 11.444 8.242 -28%
Demais Países do Mundo 1.523 1.208 892 -26%
Total 43.599 41.158 31.435 -24%

* Exceto Oriente Médio

Produção Física


Quadro 8
Investimento em Ativo Fixo

Anos % Faturamento R$ milhões
2008 4,0% 4.877
2009 2,8% 3.135
2010 2,9% 3.560
2011 3,2% 4.380
2012 2,6% 3.732
2013 2,7% 4.168
2014 2,5% 3.831
2015 2,3% 3.236
2016 * 2,3% 3.281

* projeção


Balança Comercial

Quadro 9
Mercado de PCs e Tablets (em mil unidades)

Anos Desktops Notebooks Tablets PCs + Tablets
em mil unid. Var % em mil unid. Var % em mil unid. Var % em mil unid. Var %
2013 5.748 - 8.196 - 8.386 - 22.331 -
2014 3.973 -31% 6.361 -22% 9.463 13% 19.798 -11%
2015 2.546 -36% 4.044 -36% 5.846 -38% 12.436 -37%
2016 * 2.203 -13% 3.175 -21% 4.142 -29% 9.520 -23%

* projeção

Fonte: IDC


Quadro 10
Mercado de PCs e Tablets

Anos Participações
Desktops Notebooks Tablets
2013 26% 37% 38%
2014 20% 32% 48%
2015 20% 33% 47%
2016 * 23% 33% 44%

* projeção

Fonte: IDC


Quadro 11
Mercado Oficial de Telefones Celulares (em mil unidades)

Anos Tradicionais Smartphones Celulares Total
em mil unid. Var % em mil unid. Var % em mil unid. Var %
2013 30.378 - 35.195 - 65.573 -
2014 15.752 -48% 54.551 55% 70.303 7%
2015 4.152 -74% 47.249 -13% 51.400 -27%
2016 * 2.770 -33% 40.937 -13% 43.707 -15%

* projeção

Fonte: IDC


Quadro 12
Mercado Oficial de Telefones Celulares

Anos Participações
Tradicionais Smartphones
2013 46% 54%
2014 22% 78%
2015 8% 92%
2016 * 6% 94%

* projeção

Fonte: IDC


Principais Indicadores - Dados atualizados em Setembro de 2016

Principais Indicadores 2013 2014 2015 2016 (1)  2015
2014
 2016 (1)
2015
Faturamento
(R$ bilhões)
156,7 153,8 142,5 141,1 -7% -1%
Faturamento
(US$ bilhões)
72,6 65,3 42,7 41,5 -35% -3%
Numero de Empregados
(mil) (2)
308,6 293,6 248,1 240,5 -16% -3%
Exportações
(US$ milhões)
7.218 6.552 5.912 6.100 -10% 3%
Importações
(US$ milhões)
43.599 41.158 31.435 25.100 -24% -20%
Déficit Comercial Setorial
(US$ milhões)
-36.381 -34.606 -25.522 -19.000 -26% -26%
Investimentos
(R$ milhões)
4.168 3.831 3.236 3.204 -16% -1%
Investimentos
(Porcentagem sobre o Faturamento)
2,7 2,5 2,3 2,3 - -
Faturamento por Empregado
(R$ mil) (2)
507,9 523,9 574,6 586,8 10% 2%
Correspondência do Faturamento em Relação ao PIB (%) 2,9 2,7 2,4 2,3 - -
Participação das Exportações no Faturamento (%) 9,9 10,0 13,8 14,7 - -
Participação das Exportações do Setor no Total das Exportações do País (%) 3,0 2,9 3,1 3,3 - -
Participação das Importações do Setor no Total das Importações do País (%) 18,2 18,0 18,3 18,7 - -

(1) projeção,

(2) Série Revisada.

 

Informações Adicionais

Luiz Cezar Elias Rochel

Gerente de Economia

11 2175-0030

Informações Imprensa

Jean Carlo Martins

Assessor de Comunicação

11 2175-0099

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090