Balança Comercial por Blocos Econômicos - Janeiro a Dezembro/2016

Dezembrode 2016

Exportações

No mês de dezembro de 2016, as exportações de produtos do setor eletroeletrônico somaram US$ 523,3 milhões, 1,8% abaixo das ocorridas em dezembro de 2015 (US$ 533,1 milhões).

Exportações do Setor Eletroeletrônico - US$

Este resultado foi consequência de movimentos opostos das áreas do setor, com crescimento expressivo em Informática (+32,7%) e Telecomunicações (+31,7%) e quedas significativas em GTD – Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica – (-39,6%) e Material Elétrico de Instalação (-35,8%).

No primeiro caso, destacaram-se, em Informática, as exportações de impressoras, que cresceram 115% e, em Telecomunicações, as vendas externas de estações base e aparelhos de radiocomunicação, cujos incrementos foram de 60% e 330%, respectivamente.

Em GTD, o principal destaque foi a redução de 93% nas exportações de grupos eletrogêneos, que passaram de US$ 87 milhões, em dezembro de 2015, para US$ 6 milhões, em dezembro de 2016. Porém, é importante ressaltar, que o elevado montante exportado em dezembro de 2015 foi um caso pontual, uma vez que a média nos demais meses daquele ano ficou por volta de US$ 5 milhões, resultado próximo do atingido em dezembro de 2016.

A queda nas exportações de bens da área Material Elétrico de Instalação ocorreu, principalmente, em função do recuo de 45% nas vendas externas de disjuntores.

Exportações do Setor Eletroeletrônico - US$

Na comparação com o mês imediatamente anterior, as exportações cresceram 20,5%, com incrementos que atingiram 60% em algumas áreas como GTD e Telecomunicações.

Exportações do Setor Eletroeletrônico - US$


Importações

No mês de dezembro de 2016, as importações somaram US$ 2,2 bilhões, 29,9% acima das ocorridas no mesmo mês do ano anterior (US$ 1,7 bilhão).

Ressalta-se que as importações ocorridas em dezembro de 2015 foram muito baixas, sendo a menor apontada desde fevereiro de 2009 (US$ 1,4 bilhão), período da crise internacional. Portanto, essa base de comparação é muito fraca, o que favorece o incremento.

Evolução das Exportações - US$

Com isso, seis das oito áreas analisadas do setor apontaram crescimento, com taxas que chegaram a atingir cerca de 50%, como nos casos de Componentes Elétricos e Eletrônicos, Material Elétrico de Instalação e Telecomunicações.

Verifica-se que recuaram as importações de bens de Automação Industrial (-18,3%) e de itens de GTD (-6,2%).

Importações do Setor Eletroeletrônico - US$

Na comparação com o mês imediatamente anterior, as importações recuaram 5,0%, com quedas nas compras externas de Componentes Elétricos e Eletrônicos (-11,5%), Utilidades Domésticas (-12,6%) e Material Elétrico de Instalação (-3,3%).

Importações do Setor Eletroeletrônico - US$


Janeiro a Dezembro de 2016

Exportações

No acumulado de janeiro-dezembro de 2016, as exportações de produtos elétricos e eletrônicos somaram US$ 5,62 bilhões, 5,0% abaixo das registradas no mesmo período de 2015 (US$ 5,91 bilhões).

Exportações do Setor Eletroeletrônico - US$

Como pode ser observado no gráfico a seguir, no início de 2016, quando a taxa de câmbio estava acima de R$ 3,50 por dólar, as exportações acumuladas estavam superiores às registradas em iguais períodos do ano passado.

Porém, a partir do 2º semestre de 2016, quando essa cotação ficou abaixo de R$ 3,50, as vendas externas recuaram, fazendo com que os resultados acumulados das exportações ficassem abaixo das ocorridas em iguais períodos do ano anterior. Esse comportamento negativo anulou, inclusive, o crescimento atingido no 1º semestre deste ano, encerrando 2016 com exportações 5,0% abaixo das verificadas em 2015.

Esta tendência já havia sido adiantada na Sondagem de Conjuntura realizada pela Abinee no mês de agosto de 2016, quando a maior parte das empresas indicou que a taxa de câmbio adequada para proporcionar competitividade aos seus negócios seria, no mínimo, R$ 3,50 por dólar, e que, abaixo dessa cotação, as empresas reduziriam suas vendas externas.

Produtos mais Exportados - US$

Ao analisar por áreas, aumentaram apenas as exportações de bens de Informática (+30,6%) e de Automação Industrial (+2,7%).

O crescimento das exportações de bens de Informática foi motivado, principalmente, pelos incrementos nas vendas externas de máquinas de processamento de dados (+46%) e de impressoras (+108%).

As exportações de Componentes Elétricos e Eletrônicos recuaram 7,2% em 2016 comparado a 2015, somando US$ 2,49 bilhões. Essa queda ocorreu em função da retração de 27% das vendas externas de componentes eletrônicos, uma vez, que as exportações de componentes elétricos, ficaram praticamente estáveis (+0,3%).

No caso de componentes elétricos, destacou-se o crescimento de 8% nas vendas externas de componentes para equipamentos industriais, que totalizaram US$ 680 milhões, principal produto exportado do setor.

Exportações do Setor Eletroeletrônico - US$

Os países da Aladi foram os principais destinos das exportações de produtos do setor, responsáveis por 46,7% do total, sendo 18,3% para a Argentina e 28,4% para os demais países da Aladi.

As exportações para estes países somaram US$ 2,6 bilhões, 6,5% abaixo das ocorridas em 2015.

Importações do Setor Eletroeletrônico  - US$

As exportações para os Estados Unidos cresceram 2,7%, alcançando US$ 1,1 bilhão. Com isso, a participação do mercado norte-americano no total do setor aumentou de 17,9%, em 2015, para 19,3%, em 2016.

Cresceram também as vendas para a China (+12,6%), em função, principalmente, do incremento de mais de 3.000% nas vendas de aparelhos para filtrar ou depurar gases. Ressalta-se que essas exportações foram pontuais, e sua totalidade foi concentrada quase toda no mês de março de 2016.

As exportações recuaram para as demais regiões analisadas, tais como para o total da Ásia (-11,3%), para a União Europeia (-2,1%) e para os demais países do mundo (-6,9%).

Importações do Setor Eletroeletrônico - US$


Importações

No acumulado de janeiro-dezembro de 2016, as importações de produtos elétricos e eletrônicos registraram US$ 25,6 bilhões, 18,6% abaixo das ocorridas em igual período de 2015 (US$ 31,4 bilhões).

Verifica-se que a retração das importações vem ocorrendo desde o 2º trimestre de 2014, refletindo o baixo nível de atividade da indústria.

Com isso, o resultado atingido no total de 2016 voltou aos patamares observados em 2009 (US$ 25,4 bilhões), período em que ocorreu a crise internacional.

Produtos mais Importados - US$

Em 2016, reduziram as importações de todas as áreas do setor, com taxas que variaram entre -2,0%, para GTD, até -31,4%, para Utilidades Domésticas.

Neste último caso, observa-se retração nas compras externas de todos os seus segmentos: linha branca (-35%), portáteis (-35%) e imagem e som (-24%).

Importações do Setor Eletroeletrônico - US$

As importações de Componentes Elétricos e Eletrônicos recuaram 20,4%, somando US$ 14,3 bilhões, o que representou 56% do total de importações de produtos eletroeletrônicos.

Dentre seus itens, destacaram-se os produtos mais importados do setor, como os componentes para telecomunicações (-29%), semicondutores (+1%), componentes para informática (-38%) e eletrônica embarcada (-3%), que, juntos, atingiram US$ 9,8 bilhões.

Observa-se que dos dez produtos mais importados do setor, apenas os semicondutores (+1%) e telefones celulares (+34%) registraram crescimento.

No caso de semicondutores, destacou-se o aumento expressivo de 500% nas importações de células solares, que somaram US$ 256 milhões.

Ainda referente aos semicondutores, foram significativas as importações de circuitos integrados eletrônicos, que somaram US$ 816 milhões, 11% acima de 2015.

Quanto aos telefones celulares, dos US$ 554 milhões importados no ano de 2016, 96% vieram da China, que apontaram incremento de 40% em relação a 2015, passando de US$ 382 milhões, para US$ 535 milhões, no período citado.

Participação das Importações - US$

As importações de todas as regiões analisadas recuaram, com taxas que chegaram a mais de 30% em alguns casos, como a Argentina (-32,0%) e os demais países do mundo (-35,1%).

Balança Comercial - US$

Os países asiáticos (exceto Oriente Médio) continuaram sendo as principais origens das importações de bens do setor, somando no ano de 2016, US$ 16,6 bilhões, o que representou 65% do total.

Destes 65% importados da Ásia, 37,2% referem-se às compras chinesas e 27,8% dos demais países asiáticos.

Os países da União Europeia foram a origem de 16,5% das importações de produtos do setor e os Estados Unidos 11,7%.

Balança Comercial - US$

Saldo Comercial

No acumulado de janeiro-dezembro de 2016, o déficit da balança comercial dos produtos elétricos e eletrônicos somou US$ 19,97 bilhões, 22% abaixo do registrado em janeiro-dezembro de 2015 (US$ 25,52 bilhões).

Ressalta-se que, desde junho de 2014, o déficit da balança do setor, no acumulado do ano, começou a registrar resultados abaixo dos apontados nos mesmos períodos do ano anterior.

Este comportamento vem se repetindo a cada mês, consequência da retração das importações, que também vem sendo verificada desde 2014, refletindo a queda da atividade do País.

É importante lembrar que as exportações também não mostraram reação em 2016, concluindo-se, portanto, que a redução do saldo negativo da balança de produtos do setor ocorreu apenas em função da retração das importações.

Balança Comercial - US$

Analisando por regiões, a maior parte do déficit ocorreu em função dos negócios com os países da Ásia (US$ 15,90 bilhões), sendo que somente com a China, o saldo negativo alcançou US$ 9,01 bilhões e com os demais países da Ásia somou US$ 6,89 bilhões.

A única região a apresentar superávit na balança comercial de produtos do setor foi a Aladi, somando US$ 1,46 bilhão. Porém este resultado foi muito inferior aos expressivos déficits registrados com as demais regiões.

Balança Comercial - US$


 

Os dados detalhados da Balança Comercial de Produtos do Setor Eletroeletrônico para associadas encontram-se em RESERVADO.

Lista de Produtos do Setor Eletroeletrônico

 

Informações Adicionais

Luiz Cezar Elias Rochel

Gerente de Economia

11 2175-0030

Informações Imprensa

Jean Carlo Martins

Assessor de Comunicação

11 2175-0099

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090