Balança Comercial por Blocos Econômicos - Janeiro a Março/2018

Março de 2018

Exportações

As exportações de produtos eletroeletrônicos somaram US$ 498,7 milhões, no mês de março de 2018, 27,1% abaixo das atingidas no mesmo mês do ano passado.

Porém, é importante destacar que este resultado contou com a forte influência de apenas um produto. As exportações de aparelhos para filtrar líquidos vêm apresentando comportamentos pontuais com montantes expressivos em alguns meses nos últimos anos. Neste caso, as vendas externas destes itens, principalmente para a China, alcançaram US$ 175 milhões em março de 2017, e voltou aos resultados médios de US$ 2 milhões nos demais meses, inclusive em março de 2018, influenciando o total da balança do setor.

Com isso, as exportações totais de produtos setor somaram US$ 683,7 milhões, em março do ano passado, resultado bastante superior a todos os outros meses de 2017 e 2018, como pode ser verificado no gráfico abaixo.

Evolução das Exportações - US$

Assim, as exportações de Equipamentos Industriais, área que este produto está classificado, recuaram 64,8%, passando de US$ 256,1 milhões, em março de 2017; para US$ 90,3 milhões, em março de 2018.

Se excluíssem apenas estes itens, as exportações de todos os demais bens do setor eletroeletrônico recuariam somente 2% no mês de março, comparado com o igual período do ano passado.

Observou-se nesta balança, que as vendas externas de equipamentos de Telecomunicações (-47,5%) também apontaram queda expressiva, recuando de US$ 26,7 milhões para US$ 14,0 milhões no período citado.

Neste caso, destacou-se a redução de 69% nas exportações de estações rádio base.

Das oito áreas do setor analisadas, cresceram apenas as vendas externas de itens de GTD – Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica (+4,1%), que somaram US$ 53,5 milhões. O incremento de 141% nas vendas externas de grupos eletrogêneos contribuiu com esse resultado.

Exportações do Setor Eletroeletrônico - US$

Na comparação com fevereiro de 2018, as exportações aumentaram 19,6%, com destaque para o crescimento de 125,8% nas vendas externas de Material Elétrico de Instalação, que registraram incrementos em diversos itens, dentre eles os disjuntores, cuja elevação alcançou 208%.

Nota-se, que nesta comparação, com exceção de Telecomunicações (-8,7%), cresceram as exportações de bens de todas demais áreas.

Exportações do Setor Eletroeletrônico - US$


Importações

As importações de produtos elétricos e eletrônicos somaram US$ 2,69 bilhões no mês de março de 2018, 8,7% acima das atingidas em março do ano passado.

Evolução das Importações - US$

As importações de Componentes Elétricos e Eletrônicos atingiram US$ 1,7 bilhão, 12,3% superiores as ocorridas no mesmo período de 2017. Entre seus itens mais importados estão os componentes para telecomunicações (+14%) e os semicondutores (+1%), que juntos registraram US$ 880 milhões.

As maiores taxas de incremento foram das áreas de Informática (+25,6%) e de Utilidades Domésticas (+22,7%), com destaque para máquinas para processamento de dados (+78%) e panelas eletrotérmicas (+66%), respectivamente.

Por outro lado, recuaram as compras externas de bens de Telecomunicações (-21,2%) e de itens de GTD (-11,4%).

Importações do Setor Eletroeletrônico - US$

Ao comparar com o mês imediatamente anterior, as importações cresceram 10,3%, com incremento em seis das oito áreas analisadas.

Importações do Setor Eletroeletrônico - US$


Janeiro a Março de 2018

Exportações

No acumulado de janeiro a março de 2018, as exportações de produtos elétricos e eletrônicos alcançaram US$ 1,32 bilhão, 8,0% abaixo das realizadas em igual período do ano anterior.

Exportações do Setor Eletroeletrônico - US$

Verifica-se que a já citada queda nas exportações de aparelhos para filtrar líquidos, ocorrida no mês de março de 2018, reverteu o crescimento de 9,2% apontado no acumulado de janeiro-fevereiro, passando para retração no 1º trimestre de 2018 em comparação com igual período do ano passado.

Ao excluir apenas este produto, as exportações dos demais bens do setor, aumentaram 5% no período citado.

A queda das exportações dos aparelhos para filtrar líquidos, citado acima, foi a principal responsável pela retração de 43,4% na área de Equipamentos Industriais.

Notaram-se também reduções significativas nas vendas externas de Material Elétrico de Instalação (-28,5%) e de bens de Telecomunicações (-24,1%), que foram influenciadas pela queda de disjuntores (-45%) e estações rádio base (-52%).

Informática (+31,2%) foi a área que apontou a maior taxa de crescimento, registrando incrementos expressivos em diversos itens como: máquinas para processamento de dados (+142%), caixas registradoras (+233%), monitores de vídeo (+1411%), distribuidores de papel-moeda (+1096%), entre outros.

As exportações de Componentes Elétricos e Eletrônicos totalizaram US$ 636,7 milhões, 10,8% acima das ocorridas no acumulado de janeiro-março de 2017. Destacou-se o aumento de 37% nas vendas externas de eletrônica embarcada, principal produto exportado do setor, que somou US$ 184 milhões.

Ainda referente aos produtos mais exportados do setor, também foi considerável a expansão de 155% nas vendas externas de grupos eletrogêneos, que passaram de US$ 11 milhões, no 1º trimestre de 2017, para US$ 28 milhões, no 1º trimestre de 2018.

Produtos mais Exportados - US$

Ao analisar por regiões, os países da Aladi foram os principais destinos das exportações, representando metade das vendas externas de bens do setor. Vale destacar a Argentina, cuja participação aumentou de 17,9% para 23,3% no período citado.

Os demais países da Aladi totalizaram 26,6% do total exportado do setor, percentual menor do que o atingido em janeiro-março do ano passado (27,2%).

Exportações do Setor Eletroeletrônico - US$

Destacou-se o incremento de 21,1% das exportações para os Estados Unidos, aumentando sua participação de 17,3% para 22,8%, neste período.

As vendas de bens do setor para os países da União Europeia cresceram 12,4%, ampliando sua representatividade de 11,0% para 13,5%.

Por outro lado, as exportações para os países da Ásia recuaram 70,5%, em função principalmente da China, cuja retração alcançou 87,7%.

Com isso, as vendas de produtos do setor para a China diminuíram de US$ 203,0 milhões, em janeiro-março de 2017, para US$ 25,0 milhões, em janeiro-março de 2018. Essa queda resultou, principalmente, da já mencionada redução de aparelhos para filtrar líquidos, que recuou de US$ 172 milhões para US$ 3,6 mil, no período citado.

Para os demais países da Ásia, a redução das exportações foi de 9,4%, e para o restante do mundo a queda atingiu 12,5%.

Participação nas Exportações


Importações

As importações de produtos elétricos e eletrônicos cresceram 15,5%, no acumulado de janeiro-março de 2018, em relação ao igual período do ano passado, registrando US$ 8,1 bilhões.

Importações do Setor Eletroeletrônico - US$

As compras externas de Componentes Elétricos e Eletrônicos representaram 61% deste total, somando US$ 4,9 bilhões, 20,1% acima das observadas em janeiro-março de 2017.

Ainda referente aos Componentes, destacaram-se as compras externas de componentes para telecomunicações (+24%), semicondutores (+16%) e eletrônica embarcada (+21%), principais produtos importados do setor, que, juntos, somaram US$ 3,1 bilhões.

Produtos mais Importados - US$

As áreas de Utilidades Domésticas (+32,7%), Material Elétrico de Instalação (+23,1%), e Informática (+19,8%) também apontaram taxas de crescimento significativas.

Em Utilidades Domésticas foram observados incrementos nas importações de todos os segmentos analisados, como produtos da linha branca (+54%), bens não portáteis, exceto linha branca (+36%), portáteis (+41%), aparelhos de imagem e som (+13%) e outros (+38%).

No caso de Material Elétrico de Instalação, destacou-se a elevação de 83% nas compras externas de lustres de metais comuns, e em Informática, o incremento de 67% nas importações de máquinas de processamento de dados.

Por outro lado, caíram as importações de bens de GTD (-15,4%) e de itens de Telecomunicações (-2,3%), que sofreram a influência da retração de 77% de grupos eletrogêneos e da queda de 20% nos telefones celulares, respectivamente.

Ao analisar as origens das importações, verificou-se que, aumentaram as importações de produtos elétricos e eletrônicos de diversas regiões do mundo.

Os países asiáticos (exceto Oriente Médio) continuaram sendo as principais origens das importações, somando US$ 5,7 bilhões, 22,2% acima das atingidas em janeiro-março de 2017.

Com isso, as importações de bens do setor desta região representaram 71,2% do total, sendo 40,6% apenas da China e 30,6% dos demais países da Ásia. Dessa forma verificou-se aumento na participação dos países asiáticos nas importações totais de produtos elétricos e eletrônicos, que estava em 67,4% no 1º trimestre de 2017.

Importações do Setor Eletroeletrônico - US$

As importações dos países da Aladi cresceram 22,2%, com incremento de 5,3% da Argentina e de 23,5% dos demais países deste bloco. Os países da Aladi foram a origem de 4,7% das importações de bens do setor.

Aumentaram também as importações dos países da União Europeia (+10,6%) que representaram 14,8% das importações de bens do setor. Mesmo com esse resultado, a participação destes países foi reduzida em 0,7 ponto percentual ao comparar com o 1º trimestre do ano passado, que estava em 15,5%.

Por outro lado, observou-se queda nas importações de bens do setor dos Estados Unidos (-16,4%), que diminuíram sua participação de 10,6%, em janeiro-março de 2017, para 7,7%, em janeiro-março deste ano.

Também caíram as compras dos demais países do mundo (-15,9%), que representaram 1,6% do total das importações do setor.

Participação ds Importações

Saldo Comercial

No acumulado dos três primeiros meses de 2018, o déficit da balança comercial dos produtos elétricos e eletrônicos somou US$ 6,74 bilhões, 22% acima do registrado em igual período de 2017 (US$ 5,54 bilhões).

Balança Comercial - US$


A maior parte do déficit ocorreu em função dos negócios com os países da Ásia (US$ 5,67 bilhões), sendo que somente com a China, o saldo negativo atingiu US$ 3,25 bilhões e com os demais países asiáticos somou US$ 2,42 bilhões.

A Argentina foi a única a apresentar superávit na balança comercial de produtos do setor, totalizando US$ 285,3 milhões, porém este resultado foi muito distante dos expressivos déficits registrados com as demais regiões.

Nota-se, que no 1º trimestre deste ano, até mesmo os negócios com os demais países da Aladi, exceto a Argentina, que anteriormente apresentava superávit, deixou de registrar saldo positivo na balança, apontando o mesmo resultado de exportações e importações.

Balança Comercial


 

Os dados detalhados da Balança Comercial de Produtos do Setor Elétrico e Eletrônico para associadas encontram-se em RESERVADO.

 

Informações Adicionais

Luiz Cezar Elias Rochel

Gerente de Economia

11 2175-0030

Informações Imprensa

Jean Carlo Martins

Assessor de Comunicação

11 2175-0099

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090