Balança Comercial de Produtos do Setor Elétrico e Eletrônico
Janeiro a Dezembro/2019

Dezembro de 2019

Exportações

As exportações de produtos eletroeletrônicos somaram US$ 419,5 milhões, no mês de dezembro de 2019, 8,7% abaixo das realizadas em dezembro do ano anterior (US$ 459,4 milhões).

Evolução das Exportações - US$

A maior taxa de retração foi da área de Informática, que atingiu 51,5%. Foram observadas quedas expressivas nas vendas externas de alguns produtos dessa área, tais como: máquinas para processamento de dados (-61%), distribuidores automáticos de papel-moeda (-94%), caixas registradoras (-99%), entre outros.

Exportações do Setor Eletroeletrônico - US$

As exportações de Material Elétrico de Instalação recuaram 27,7%, influenciadas pela redução de 51% nas vendas externas de disjuntores.

As exportações de Componentes Elétricos e Eletrônicos somaram US$ 167,3 milhões, 13,3% inferiores às realizadas em dezembro de 2018. Destacou-se a queda nas vendas externas de motocompressores herméticos, de componentes para material elétrico de instalação e de componentes para telecomunicações, que atingiu 26% nos três casos.

Observou-se recuo de 9,7% nas vendas externas de bens de Automação Industrial que sofreram influência da retração de 20% nos instrumentos de medida.

Caíram também as exportações de Equipamentos Industriais (-4,3%) e de itens de Telecomunicações (-3,2%). No primeiro caso, destacaram-se os retificadores industriais (-82%) e fornos elétricos industriais (-62%). Em Telecomunicações, notaram-se reduções significativas nas vendas externas de estações rádio base (-66%) e nos itens de comutação privada (-32%).

Por outro lado, as exportações de bens de GTD – Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica – aumentaram 34,7%, passando de US$ 37,1 milhões em dezembro de 2018, para US$ 49,9 milhões em dezembro de 2019. Neste caso, verificaram-se expressivos incrementos em diversos itens, tais como: grupos eletrogêneos (+100%), geradores (+39%), seccionadores (+58%), painéis e quadros (+283%), entre outros.

As exportações de Utilidades Domésticas (+6,6%) cresceram também. Esse resultado contou com a elevação de 68% nas vendas externas de refrigeradores.

Ao comparar com novembro de 2019, as vendas externas de bens do setor recuaram 17,5%, com queda em todas as áreas, exceto no segmento de Informática (+2,7%), que contou com o aumento de 57% nas exportações de smart cards (US$ 3 milhões).


Importações

As importações de produtos elétricos e eletrônicos atingiram US$ 2,35 bilhões no mês de dezembro de 2019, 13,6% acima do mesmo mês do ano anterior (US$ 2,07 bilhões).

Evolução das Importações - US$

As importações de bens de todas as áreas cresceram, com destaque para o forte incremento de 155,9% nos itens de GTD.

A ampliação nas importações de GTD foi influenciada pelas expressivas elevações nas compras externas de módulos fotovoltaicos (+158%) e de grupos eletrogêneos (+593%), que atingiram US$ 142 milhões e US$ 51 milhões, respectivamente.

Ressalta-se que apenas esses dois itens foram responsáveis por 84% das importações de bens de GTD.

Também foram significativas as elevações nas importações de Equipamentos Industriais (+21,8%) e Material Elétrico de Instalação (+15,5%).

Esses resultados foram influenciados pelas importações de conversores estáticos para acionamento de motores (+100%) e de disjuntores (+27%), respectivamente.

Observou-se elevação de 17,9% nas compras externas de Utilidades Domésticas, que contaram com o aumento das importações de equipamentos de áudio e vídeo (+68%) e de condicionadores de ar (+64%).

As importações de Componentes Elétricos e Eletrônicos somaram US$ 1,13 bilhão, 2,8% acima das verificadas em dezembro de 2018 (US$ 1,10 bilhão). Dentre seus principais itens, destacou-se o aumento de 16% nas importações de componentes para informática, que atingiram US$ 118 milhões.

As importações de bens de Informática (+8,7%) e de Automação Industrial (+6,9%) contaram com as máquinas de processamento de dados (+12%) e com os instrumentos de medida (+12%), respectivamente.

As compras externas de bens de Telecomunicações aumentaram 8,5%, com destaque para a expansão de 45% nas importações de telefones celulares oriundas principalmente da China.

Ao comparar com o mês imediatamente anterior, as importações reduziram-se 7,9%.

Importações do Setor Eletrônico - US$


Janeiro a Dezembro de 2019

Exportações

No acumulado do ano de 2019, as exportações de produtos elétricos e eletrônicos atingiram US$ 5,58 bilhões, 4,8% abaixo das apontadas em 2018 (US$ 5,86 bilhões).

Importações do Setor Eletrônico - US$

Esse resultado foi consequência de comportamentos diferentes das diversas áreas.

As exportações de Componentes Elétricos e Eletrônicos somaram US$ 2,45 bilhões, apontando queda de 5,5%. Nota-se que esse desempenho sofreu influência da redução de 21% nas vendas externas de eletrônica embarcada, que passaram de US$ 685 milhões para US$ 541 milhões.

Por outro lado, ainda referente aos Componentes, destacou-se a elevação de 36% nas vendas externas de componentes para equipamentos industriais - principal bem exportado do setor -, que somaram US$ 688 milhões.

Informática (-26,9%) foi a área que apontou a maior taxa de retração, influenciada, principalmente, pelas quedas nas vendas externas de caixas registradoras (-67%), distribuidores automáticos de papel-moeda (-43%) e monitores (-45%).

Notou-se também redução nas exportações de Equipamentos Industriais (-10,8%), de bens de GTD (-6,4%), e de Utilidades Domésticas (-1,4%).

Por outro lado, verificou-se incremento significativo nas vendas externas de bens de Telecomunicações (+28,0%), influenciadas principalmente pelos acréscimos nas exportações de equipamentos de comutação privada (+370%), aparelhos de radiodifusão (+199%) e telefones celulares (+155%).

Vale lembrar que, no último caso, o incremento contou com o expressivo montante das exportações desses aparelhos para os Estados Unidos ocorridas especificamente no mês de setembro de 2019, que atingiram US$ 15,7 milhões.

Cresceram também as vendas externas de itens de Automação Industrial (+11,0%), apontando US$ 665,1 milhões.

E as exportações de Material Elétrico de Instalação ficaram praticamente estáveis (+0,2%).

Produtos mais Exportados / Exportações - US$

Ao analisar por regiões, destacou-se o aumento na participação dos Estados Unidos, que estava em 23% em 2018 e passou para 29% em 2019. Essa foi a maior representatividade dos Estados Unidos no total das exportações de produtos do setor desde 2004.

Assim, as exportações para os Estados Unidos encerraram o ano de 2019 com US$ 1,65 bilhão, 23,7% acima das realizadas em 2018.

Por outro lado, foram significativas as quedas da Argentina e da União Europeia.

No primeiro caso, a participação do mercado argentino recuou de 18% em 2018 para 14% em 2019. Ao contrário dos Estados Unidos, essa foi a menor representatividade deste país também desde 2004.

Em 2019, as vendas para a Argentina atingiram US$ 802 milhões, 24,7% inferiores ao resultado de 2018, influenciadas pela crise naquele país.

Vale destacar que além da Argentina, as exportações para os demais países da Aladi (-5,1%) também caíram.

No caso da União Europeia, as exportações recuaram 27,9%, totalizando US$ 786 milhões. Com isso, a participação desse bloco diminuiu em 5 pontos percentuais, recuando de 19% para 14%.

Por outro lado, cresceram as vendas para os países da Ásia (+9,5%), influenciadas pela elevação de 41,6% das vendas para o mercado chinês, uma vez que as exportações para os outros países dessa região exceto a China recuaram 2,9%.

Especificamente no caso da China, apesar da taxa de crescimento ter sido expressiva, o montante vendido para o mercado chinês foi modesto (US$ 136,3 milhões), representando apenas 2% do total do setor.

As vendas para os demais países do mundo somaram US$ 508,2 milhões, com elevação de 3,7%.

Participação das Exportações - US$


Importações

As importações de produtos elétricos e eletrônicos somaram US$ 32,0 bilhões no ano de 2019, 0,9% acima das apontadas em igual período de 2018 (US$ 31,8 bilhões).

Importações do Setor Eletroeletrônico - US$

Ressalta-se que esse crescimento ocorreu em virtude do desempenho das importações no 4º trimestre de 2019, que aumentaram 7,1% em relação ao 4º trimestre de 2018.

Vale lembrar que no acumulado de janeiro até setembro de 2019, as importações estavam 1,1% abaixo das verificadas no mesmo período do ano anterior.

A maior taxa de incremento no ano de 2019 foi da área de GTD (+65,8%), com destaque para o aumento de 74% nas compras externas de módulos fotovoltaicos, que atingiram US$ 1 bilhão. Ressalta-se que a China representou 99% desse total.

Com isso, os módulos fotovoltaicos ficaram na sétima posição entre os produtos mais importados do setor.

Além desses módulos, foram observados crescimentos expressivos nas importações de outros itens de GTD, tais como: grupos eletrogêneos (+298%), geradores (+89%), transformadores (+112%), entre outros.

As compras externas de Equipamentos Industriais aumentaram 16,5%, totalizando US$ 3,1 bilhões, influenciadas pela elevação de 59% nas importações de conversores estáticos para acionamento de motores, que atingiram US$ 393 milhões.

Foram observados também incrementos de 2,2% nas compras externas de bens de Informática e de itens de Telecomunicações.

Por outro lado, as compras externas de Componentes Elétricos e Eletrônicos recuaram 4,7% em 2019. As importações desses itens somaram US$ 17,7 bilhões, o que representou 55% do total.

Esse resultado sofreu influência, principalmente, das quedas nas compras externas de semicondutores (-8%), componentes para informática (-5%), eletrônica embarcada (-18%), componentes para equipamentos industriais (-7%), entre outros.

Destacaram-se os componentes para telecomunicações que foram os principais produtos importados do setor, totalizando US$ 4,7 bilhões. Esse montante ficou estável em relação a 2018.

Recuaram também as importações de Material Elétrico de Instalação (-6,7%) Utilidades Domésticas (-5,1%) e Automação Industrial (-3,6%).

Estes resultados sofreram influência das reduções nas importações de lâmpadas (-14%), auto-rádios (-43%) e controladores programáveis (-64%), respectivamente.

Produtos mais importados - US$

As principais origens das importações continuaram sendo os países asiáticos (exceto Oriente Médio), que somaram US$ 23,0 bilhões, representando 72% do total.

As importações de bens destes países aumentaram 3,5% em decorrência da expansão de 10,1% das compras da China, uma vez que as importações dos demais países dessa região recuaram 5,8%.

Com isso, a participação do mercado chinês no total importado de bens do setor ampliou-se de 41% em 2018 para 45% em 2019.

Os demais países dessa região foram responsáveis por 27% do total em 2019.

As importações da União Europeia recuaram 12,9%, reduzindo sua participação de 15% para 13%.

Os Estados Unidos foram a origem de 8% das importações de bens do setor, atingindo US$ 2,7 bilhões.

As compras de produtos do setor dos países da Aladi ficaram praticamente estáveis (-0,3%), com queda de 11,9% da Argentina, e leve aumento de 0,4% dos demais países desse bloco.

Vale lembrar que a participação desses países nas importações de produtos do setor é menos expressiva, representando 4% do total.

Participação das Importações - US$

Destacou-se a elevação de 33,8% nas importações dos demais países do mundo que passaram de US$ 555,3 milhões para US$ 742,9 milhões no período citado. Esse incremento contou a elevação de 103% das importações da Suíça, que passaram de US$ 143,1 milhões em 2018, para US$ 291,0 milhões em 2019.

Ainda referente à Suíça, foram observados incrementos significativos em diversas áreas, com destaque para GTD (+1.173%) e Telecomunicações (+805%), em função, principalmente, dos fortes crescimentos nas importações de grupos eletrogêneos e de aparelhos e radiocomunicação, respectivamente.

Destacaram-se também as importações de Equipamentos Industriais da Suíça que aumentaram 258%, influenciadas pelas expressivas importações de dispositivos para tratamento de matérias por meio de operações que impliquem mudança de temperatura e de aparelhos para filtrar água.


Saldo Comercial

No acumulado do ano de 2019, o déficit da balança comercial dos produtos elétricos e eletrônicos somou US$ 26,45 bilhões, 2% acima do registrado em 2018 (US$ 25,90 bilhões).

Esse saldo negativo resultou da queda de 4,8% nas exportações e do aumento de 0,9% nas importações.

A maior parte do déficit ocorreu em função dos negócios com os países da Ásia (US$ 22,7 bilhões), sendo que, somente com a China, o saldo negativo atingiu US$ 14,1 bilhões e, com os demais países asiáticos, US$ 8,5 bilhões.

Os países da Aladi foram os únicos a apresentar superávit na balança comercial de produtos do setor, totalizando US$ 827,3 milhões, com saldo positivo tanto da Argentina (US$ 730,0 milhões), como dos demais países deste bloco (US$ 97,3 milhões). Porém, estes resultados são insuficientes para compensar os expressivos déficits registrados com as demais regiões.

Balança Comercial do Setor Eletroeletrônico - US$


Os dados detalhados da Balança Comercial de Produtos do Setor Elétrico e Eletrônico para associadas encontram-se no site da Abinee em Acesso Reservado e as séries históricas estão disponíveis em Economia e Estatísticas - Base de Dados Econômicos.

 
 
 

Informações Adicionais

Luiz Cezar Elias Rochel

Gerente de Economia

11 2175-0030

Informações Imprensa

Jean Carlo Martins

Assessor de Comunicação

11 2175-0099

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090