Balança Comercial por Blocos Econômicos - Janeiro a Setembro/2016

Setembro de 2016

Exportações

As exportações de produtos do setor eletroeletrônico somaram US$ 470,8 milhões no mês de setembro de 2016, 3,6% abaixo das ocorridas em setembro de 2015 (US$ 488,2 milhões).

Exportações do Setor Eletroeletrônico - US$

Os bens de Telecomunicações (-40,5%) foram os que apontaram a maior queda, em função, principalmente da retração de 78% nas vendas externas de estações radio base, que passaram de US$ 12,4 milhões, em setembro de 2015, para US$ 2,8 milhões, em setembro de 2016.

Recuaram também as exportações de bens de GTD - Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica (-18,8%), Utilidades Domésticas (-10,6%) e Componentes Elétricos e Eletrônicos (-5,6%), com destaque para as quedas expressivas nas vendas externas de painéis e quadros (-82%), aquecedores elétricos de água (-43%) e componentes para telecomunicações (-51%), respectivamente.

Por outro lado, as vendas de produtos da área de Material Elétrico de Instalação cresceram 41,3%, com destaque para a expansão de 73% nas exportações de disjuntores.

Exportações do Setor Eletroeletrônico - US$

Na comparação com o mês imediatamente anterior, as exportações diminuíram 2,5%.

Exportações do Setor Eletroeletrônico - US$


Importações

No mês de setembro de 2016, as importações somaram US$ 2,2 bilhões, 9,8% abaixo das ocorridas no mesmo mês do ano anterior (US$ 2,4 bilhões).

Evolução das Exportações - US$

Com exceção de Telecomunicações (+11,6%) e de Material Elétrico de Instalação (+3,1%), as importações de bens das demais áreas recuaram, com taxas que atingiram até -28,5% (GTD).

Neste último caso, o principal destaque foi a redução de 96% nas importações de grupos eletrogêneos de energia eólica, que recuaram de US$ 18 milhões, em setembro de 2015 para US$ 740 mil, em setembro deste ano. Ressalta-se que neste período do ano passado, US$ 17,4 milhões foram importações pontuais destes bens, que vieram da Índia.

Por outro lado, os resultados positivos nas importações de bens de Telecomunicações e Material Elétrico foram influenciados pelas compras externas de aparelhos de radiocomunicação (+40%) e de lâmpadas (+38%), respectivamente.

Importações do Setor Eletroeletrônico - US$

Ao comparar com o mês imediatamente anterior, as importações diminuíram 8,0%, com redução em seis das oito áreas do setor, sendo que os incrementos das duas demais áreas foram no máximo de 1,0%.

Importações do Setor Eletroeletrônico - US$


Janeiro a Setembro de 2016

Exportações

No acumulado de janeiro-setembro de 2016, as exportações de produtos elétricos e eletrônicos somaram US$ 4,23 bilhões, 2,4% abaixo das registradas no mesmo período de 2015 (US$ 4,33 bilhões).

Exportações do Setor Eletroeletrônico - US$

Como pode ser observado no gráfico abaixo, no início de 2016, quando a taxa de câmbio estava acima de R$ 3,50 por dólar, as exportações acumuladas neste ano estavam superiores às registradas em iguais períodos do ano passado.

Porém, a partir do 2º semestre de 2016, quando essa cotação ficou abaixo de R$ 3,50 (chegando a R$ 3,26 em setembro), as vendas externas recuaram, fazendo com que os resultados acumulados das exportações ficassem abaixo das ocorridas em iguais períodos do ano passado. Esse comportamento negativo anulou, inclusive, o crescimento atingido no 1º semestre deste ano.

Esta tendência já havia sido adiantada na Sondagem de Conjuntura realizada pela Abinee no mês de agosto de 2016, quando a maior parte das empresas indicou que a taxa de câmbio adequada para proporcionar competitividade aos seus negócios seria no mínimo de R$ 3,50 por dólar, e que abaixo dessa cotação, as empresas reduziriam suas vendas externas.

Produtos mais Exportados - US$

Especificamente as exportações de Componentes Elétricos e Eletrônicos recuaram 10,9% no acumulado de janeiro a setembro de 2016 em relação a mesmo período de 2015, somando US$ 1,85 bilhão.

Destacaram-se as retrações de 12% de eletrônica embarcada e de 13% de componentes passivos.

Por outro lado, as vendas externas de componentes para equipamentos industriais, principais produtos exportados do setor, aumentaram 3%, atingindo US$ 509 milhões.

Exportações do Setor Eletroeletrônico - US$

Além dos Componentes Elétricos e Eletrônicos, recuaram as exportações de bens de Telecomunicações (-15,3%), Utilidades Domésticas (-11,1%) Material Elétrico de Instalação (-7,3%) e bens de GTD (-1,9%).

Os principais incrementos foram das exportações de bens de Informática (+43,7%) e de Equipamentos Industriais (+11,4%).

No primeiro caso, destacaram-se as exportações de impressoras (+133%) e de máquinas para processamento de dados (+74%).

E em Equipamentos Industriais, os principais destaques foram os aparelhos para filtrar ou depurar gases (+886%) e aparelhos e dispositivos para tratamento de materiais por meio de operações que impliquem mudança de temperatura (+189%).

Nota-se que as exportações desses dois últimos produtos foram pontuais e a maior parte ficou concentrada apenas em um mês - março e janeiro de 2016, respectivamente.

Quanto aos destinos das exportações, as já citadas vendas pontuais de aparelhos para filtrar gases e de dispositivos para tratamento de materiais por mudança de temperatura contribuíram com o crescimento de 240,1% nas vendas externas para a China, que aumentaram de US$ 132,2 milhões para US$ 449,7 milhões, no período acumulado de janeiro-setembro de 2016.

Importações do Setor Eletroeletrônico  - US$

Com isso, a participação da China no total exportado de produtos do setor passou de 3,1% para 10,6% no período citado. Caso essas exportações pontuais não voltem a acontecer, a participação da China deverá retornar para cerca de 3,0% a 4,0%, percentuais apontados nos últimos anos, exceto 2015, quando também ocorreram algumas exportações pontuais no final do ano.

Com exceção da China, as exportações recuaram para os demais países do mundo, com quedas de -3,3% para os Estados Unidos; -10,3% para a Argentina; -9,2% para os demais países da Aladi exceto a Argentina; -4,3% para a União Europeia; -39,7% para os países da Ásia exceto a China e -12,6% para os demais países do mundo.

Mesmo com a retração apresentada, os países da Aladi continuaram sendo os principais destinos das exportações do setor, totalizando US$ 1,9 bilhão, o que representou 46% do total.

Importações do Setor Eletroeletrônico - US$


Importações

No acumulado dos primeiros nove meses do ano, as importações de produtos elétricos e eletrônicos somaram US$ 18,8 bilhões, 25,7% abaixo das ocorridas em igual período de 2015 (US$ 25,3 bilhões), reflexo da queda da atividade do País.

Produtos mais Importados - US$

Com exceção de GTD (+3,5%), as demais áreas apresentaram retrações nas importações com taxas que ficaram entre -17,6% (Automação Industrial) e -39,8% (Utilidades Domésticas).

Neste último caso, observa-se retração nas compras externas de todos os seus segmentos: linha branca (-40%), portáteis (-44%) e imagem e som (-37%).

As importações de Componentes Elétricos e Eletrônicos recuaram 29,2%, somando US$ 10,4 bilhões. Este resultado representou 55% do total de importações de produtos eletroeletrônicos.

Dentre seus itens, destacaram-se os produtos mais importados do setor, como os componentes para telecomunicações (-38%), semicondutores (-14%), componentes para informática (-41%) e eletrônica embarcada (-11%), que, juntos, atingiram US$ 7,2 bilhões.

O resultado de GTD, única área que apontou incremento das importações, ocorreu em função, principalmente, dos aumentos de 363% nas compras externas de transformadores (US$ 169 milhões) e de 114% de painéis e quadros (US$ 140 milhões).

Importações do Setor Eletroeletrônico - US$

Os países asiáticos (exceto Oriente Médio) continuaram sendo as principais origens das importações de bens do setor, somando US$ 12,1 bilhões, o que representou 64,3% do total.

Deste total, 35,7% referem-se às importações chinesas e 28,6% dos demais países da Ásia. Nota-se que ao comparar com igual período do ano passado, a participação da China no total importado do setor caiu 3,0 pontos percentuais enquanto que a dos demais países da Ásia aumentou em 1,9 pontos percentuais.

Verifica-se que a queda da participação da China foi distribuída para diversas regiões, uma vez que além dos demais países da Ásia, também cresceram as participações de outras origens, mesmo apontando retração nas importações, como: dos Estados Unidos (de 11,3% para 12,1%), dos países da Aladi (de 3,6% para 4,1%) e da União Europeia (de 16,3% para 16,7%).

Participação das Importações - US$

Saldo Comercial

No acumulado de janeiro-setembro de 2016, o déficit da balança comercial dos produtos elétricos e eletrônicos somou US$ 14,56 bilhões, 30,5% abaixo do registrado em janeiro-setembro do ano passado (US$ 20,94 bilhões).

Ressalta-se que, desde junho de 2014, o déficit da balança do setor, no acumulado do ano, começou a registrar resultados abaixo dos apontados nos mesmos períodos do ano anterior.

Este comportamento vem se repetindo a cada mês, consequência da retração das importações que também vem sendo verificada desde 2014, refletindo a queda da atividade do País.

Ao analisar por regiões, a maior parte do déficit ocorreu em função dos negócios com os países da Ásia (US$ 11,48 bilhões), sendo que somente com a China, o saldo negativo alcançou US$ 6,27 bilhões e com os demais países da Ásia somou US$ 5,21 bilhões.

Ressalta-se que mesmo com a considerável taxa de crescimento das exportações para a China, o déficit com este país continuou muito elevado, uma vez que o volume importado do mercado chinês foi bastante significativo.

A única região a apresentar superávit na balança comercial de produtos do setor foi a Aladi, somando US$ 1,1 bilhão. Porém este resultado foi muito inferior aos expressivos déficits registrados com as demais regiões.

Balança Comercial - US$


 

Os dados detalhados da Balança Comercial de Produtos do Setor Eletroeletrônico para associadas encontram-se em RESERVADO.

Lista de Produtos do Setor Eletroeletrônico

 

Informações Adicionais

Luiz Cezar Elias Rochel

Gerente de Economia

11 2175-0030

Informações Imprensa

Jean Carlo Martins

Assessor de Comunicação

11 2175-0099

 
 
Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Escritório Central: Avenida Paulista, 1313 - 7º andar - 01311-923 - São Paulo - SP
Fone: 11 2175-0000 - Fax: 11 2175-0090